Familia e vida domesticas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1734 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
2- Fichamento do Capítulo 03: “ Familias e vida domesticas”, do livro “História da vida privada no Brasil”, que tem por autora do capítulo Leia Mezan Algranti.

Detecções das ideias centrais do texto:
Este capítulo “família e vida doméstica” tende a nos mostrar uma verdadeira intimidade da vida privada da colônia, com suas dificuldades e realidades, nos abre os olhos para uma sociedadeum tanto quanto diferente da estudada no ensino médio e fundamental. O autor nos mostra a todo o momento a dificuldade dos colonos em conviver com a distância da metrópole, e nos coloca os grandes passos feitos pelos mesmos. Este capítulo nos mostra a divisão de uma sociedade feita de camadas, onde a igreja influenciava bastante e onde a família era à base da sociedade. O autor também tentou nosmostrar as diferenças da vida colonial na cidade e nos campos, tendo em vista que possuíam muitas diferenças, principalmente com relação a sociabilidade que se distinguia bastante em ambas as sociedades. Ao usar alguns autores a autora da obra tanta nos mostrar o quanto a divisão da casa era importante na divisão da sociedade, e o quanto que com o passar dos séculos essa divisão teve mudanças,desde os quartos senhoris ate a senzala.
O autor tenta abordar neste capitulo o mundo privado das famílias, passando de homens a mulheres, da religião a escravidão, fala do interior e do exterior da morada colonial e tenta entrar naquela sociedade usando de exemplos e fontes.
Fazendo uma síntese geral, o autor tenta nos mostrar uma sociedade menos engessada do que nos é mostrado, elequer nos abrir a mente para uma sociedade que não foi somente luxo e glamour, e sim uma sociedade em que não era somente o homem que mandava e desmandava, e principalmente a autora tenta nos mostrar que a família colonial não era uma família que apenas ficava sentada esperando tudo, e sim que na sociedade colonial tantos os senhores quanto os escravos tinham seus afazeres e não paravam momentoalgum, havia divisão de tarefas e na maioria das vezes principalmente nas fazendas a própria sociedade colonial produzia o que comia, vestia, dormia, entre outros.
Este capítulo e uma síntese da sociedade colonial do século XVl ao XVlll, e a todo o momento a autora mostra evoluções feitas neste período, tendo em vista que a colonização só estabeleceu definitivamente na colônia em meados doséculo XVlll e é a partir deste período que a sociedade colonial busca um conforto maior na colônia.

3- Sínteses seletivas das ideias/ conceitos/ definições/ teorias desenvolvidas no texto (coleta de dados):

“... Nos primeiros séculos da colonização, a organização familiar e a vida domestica não poderiam deixar de ser influenciadas por alguns elementos que marcaram profundamente a formação dasociedade brasileira e o modo de vida dos seus habitantes. A distancia da metrópole...” ( Página 84).
Este trecho do capitulo percebo que é de extrema importância, pois a maioria das dificuldades encontradas pelas famílias coloniais era resumida pela distancia da metrópole. A questão de materiais para uso da sociedade que faltava como garfos, facas, colheres, camas, também a questão dos remédiosque também faltava nessa sociedade e que muitas vezes tinham que ser substituídos por remédios caseiros. Outro aspecto a ser apontado pela questão da distancia da metrópole é a alimentação que era bastante precária e reduzida, na maioria das vezes a base de farinha de mandioca.
“... Se em meados do século XVlll tanto em São Paulo como em outras localidades, as camas começam a aparecer com maiorfreqüência, como se pode notar nos inventários dos inconfidentes, cabe lembrar que ate o século XlX convivi-se com redes, catres e jiraus...”(Página 107).
Este trecho tem por importância nos mostrar as condições simples em que por muito tempo se viviam as famílias coloniais. Nos mostra também a precariedade de mobílias que muitas vezes vinham da metrópole.
“... Talvez essa falta de conforto...
tracking img