Estudo de dosagem de concreto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3617 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

Temos como objetivo desenvolver um projeto de dosagem IPT/EPUSP para concreto convencional e fornece um traço que a tenda as seguintes especificações:

Obra a construir:

• Concreto a ser utilizado na concretagem de vigas e lajes;

• Volume de concreto: 230,0 m³

Materiais utilizados:

• Cimento Portland;

• Areia lavada;

• Pedra britada debasalto.



Especificações do traço de concreto:




• Abatimento ST 80 +/- 20 mm

• Resistência característica a compressão de 20,0 MPa

• Desvio - padrão de produção (Sd) de 5,5 MPa

Quantificação de apresentação para o traço solicitado:

• Consumo de materiais por metro cúbico de concreto e por betonada de concreto;

• Consumo de materiais e por betonada deconcreto;

• Quantidade de material a ser adquirida para concretagem da estrutura;

• Custo unitário e total do concreto a ser utilizado na obra;

• Dimensionar o traço solicitado em volume, considerando caixas de madeira de base (45x35)cm de forma que quando cheia do material apresente um peso máximo de

50,0 kg;

• Capacidade da cuba da betoneira estacionário igual a350 litros.














Pesquisa Bibliográfica



Métodos de dosagem de concreto



Método IPT/EPUSP

O método de dosagem de concreto IPT é bastante simples e versátil, tendo ampla aceitação no Brasil.

Suas principais características são:

- A ênfase na experimentação expedita, com os materiais disponíveis na obra;

- O emprego do Diagrama IPT de Dosagem ou desuas equações.

- A possibilidade de adaptação a outros métodos de dosagem, podendo-se optar ou não por adotar distribuições granulométricas impostas para os agregados;

O Diagrama IPT de Dosagem é uma ferramenta útil não só na etapa preliminar de dosagem, mas também no controle, onde facilita as intervenções no processo de produção do concreto.

A análise dos resultados, tambémapresentada com novas ferramentas matemáticas, permite uma comparação técnico-econômica útil à escolha dos materiais para a obra.

Adicionalmente, frente ao problema que é o prazo de espera dos ensaios aos 28 dias ou mais de idade, podem-se tomar decisões antecipadas para o traço do concreto a empregar, com razoável confiabilidade nas previsões, que o método permite conferir quando da disponibilidadedos resultados.



Primeiro Passo: Requisitos, dados, estimativa grosseira do traço:

Nesta etapa, deve-se fornecer a resistência característica, o desvio-padrão esperado para a produção, o abatimento do tronco de cone, o diâmetro máximo do agregado, o tipo de cimento a empregar, etc.

Considera-se como aglomerante o conjunto cimento + adição. As relações adição/aglomerante eaditivo/aglomerante devem ser constantes em cada família de concreto ou estudo de dosagem, que se repete ao mudar essas proporções. Em princípio elas devem oscilar em torno das recomendadas pelos respectivos fabricantes.



Segundo Passo: Traços rico, médio e pobre - ajuste final de trabalhabilidade e moldagem de corpos-de-prova.

Nesta parte do estudo de dosagem pretende-se confeccionar trêsconcretos de mesma consistência variando o consumo de aglomerante e a relação água/aglomerante, para se moldarem corpos-de-prova com os quais se determinam propriedades de interesse nos estados fresco e endurecido.

As quantidades de materiais são calculadas a partir do consumo estimado pela medida da massa unitária do concreto no passo anterior e do volume necessário aos corpos-de-prova previstos.No laboratório, confeccionam-se concretos com os traços rico, médio e pobre, ajustando-se a água para obter a consistência na faixa desejada, medindo-se as respectivas massas unitárias, opcionalmente os teores de ar, e moldando-se corpos-de-prova para ensaios às idades de interesse.



Terceiro Passo: Ensaios em concreto endurecido

Decorrida a cura até as idades de interesse,...
tracking img