Economia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1326 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Economia II - Aula 02
Prof. Vasconcellos V. dos Santos
vvsantos@uol.com.br 1
Os Ciclos Econômicos
Economia II
Prof. Vasconcellos V. dos Santos
Objetivos do Tópico
Estudar a formação econômica inicial do Brasil, demonstrar que o sentido da colonização
(monocultura, latifúndio, trabalho escravo) marca todos os ciclos econômicos iniciais, com
exceção do ciclo do ouro.
Introduzir outrosaspectos para a melhor compreensão do tema, como o mercantilismo e
a inserção do colonialismo do ponto de vista mercantil. Além de uma breve passagem
sobre as leis de vantagens comparativas.
A produção açucareira
O processo de substituição da mão de obra nativa pela negra foi mais rápido na região
Nordeste, núcleo inicial da produção açucareira, que demandava a força de trabalho
provenienteda África.
No resto do país, a implantação do sistema foi mais lenta, pois seu custo era alto fora das
zonas dinâmicas da economia.
Resolvido o fator trabalho, a monocultura pôde iniciar-se; eram extensas unidades
produtivas tocadas por inúmeros trabalhadores.
O conceito de engenho ampliou-se a todas as terras e culturas, tornando-se equivalente
a propriedade canavieira.
A produçãoaçucareira
As extensas terras eram ocupadas principalmente com as grandes plantações, mas
também eram usadas para a agricultura de subsistência e a pastagem dos animais.
Até o século XVII a produção de açúcar na América portuguesa era líder no mercado
mundial, e só perdeu espaço quando entraram no cenário americano as produções
concorrentes da América Central e das Antilhas.
Ainda durante ociclo açucareiro, Lisboa enfrentaria dificuldades advindas das invasões
holandesas na região Nordeste.
A manutenção dos interesses portugueses na região Nordeste tornou-se mais difícil,
sendo garantida na ponta das baionetas.
O ciclo do ouro
O ouro brasileiro provocaria grandes mudanças, que levariam ao esgotamento da
primeira fase do açúcar.
As demais atividades declinaram diante daimportância desse metal.
O ouro trouxe para Minas Gerais, junto com as classes dominantes, um contingente
populacional atraído pela ilusão do enriquecimento rápido.
Os bandeirantes paulistas tinham como objetivo principal a captura de índios, contudo
foram esses aventureiros que encontraram o ouro mineiro na região das cidades
históricas.
O ciclo do ouro
A repercussão da descoberta do metalgerou um movimento migratório inédito para o
Brasil, alterando o perfil populacional, sobretudo pelo surgimento de uma camada média
na escala social.
A indústria da mineração consolidava-se pela exploração das jazidas, que era realizada,
de um lado, nas lavras e, de outro, pelo trabalho dos faiscadores.
A maior produção era obtida nas grandes lavras, que reuniam um número elevado detrabalhadores, a maioria dos quais era escrava. Não se registra a presença do índio.
O ciclo do ouro
Diferentemente do ciclo econômico anterior, havia uma maior mobilidade social; um
escravo podia chegar até a estabelecer-se por conta própria, trabalhando por quotas e
acumulando o suficiente para adquirir a própria liberdade.
A atividade aurífera exigia um controle maior por parte dos colonizadores,em virtude de
sua importância como fonte de riqueza.
O controle era praticado por meio de atos, regimentos, regulamentos e vigilância local. É
dessa época a determinação da quinta parte – o quinto – como taxação sobre o ouro
extraído.
1
2
3
4
5
6
7
Economia II - Aula 02
Prof. Vasconcellos V. dos Santos
vvsantos@uol.com.br 2
A Fazenda Real enfrentava muitos contratempos para afiscalização da cobrança desse
imposto, pois era um tributo alto e os mineradores não poupavam criatividade para burlar
o fisco e maquiar o montante da produção obtida.
O ciclo do ouro
Espontaneamente ou de forma compulsória, por meio do derrame, uma quantia de 100
arrobas (ou 1.500 quilos) tinha de ser entregue à fiscalização.
Tamanho abuso de Lisboa determinou um clima de revolta,...
tracking img