Economia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 26 (6284 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
18
2 A GLOBALIZAÇÃO DA ECONOMIA MUNDIAL
Este capítulo, apresenta a dinâmica de desenvolvimento da economia mundial e os fatores que
contribuíram para o processo de globalização e de acumulação de capital ao longo de cinco
séculos. Além disso, tem por objetivo identificar os impactos do processo de globalização da
economia mundial sobre o desenvolvimento econômico e social e sobre asdesigualdades
econômicas, sociais, regionais, nacionais e internacionais. Compõe-se de três partes:
· A dinâmica de desenvolvimento da economia mundial
· O processo de globalização do Século XV ao Século XX
· As desigualdades econômicas e sociais mundiais no Século XX
Ao abordar a dinâmica de desenvolvimento da economia mundial, pretende-se apresentar a
essência do processo deacumulação do capital em escala global com os elementos que lhe
deram sustentação durante cinco séculos. Na abordagem do processo de globalização, buscase apresentar suas principais características em cada um dos seus períodos do Século XV ao
Século XX. Ao tratar das desigualdades econômicas e sociais mundiais no Século XX,
procura-se avaliar os efeitos do processo de globalização nageração das disparidades sociais e
internacionais. Finalmente, foram apresentados os impactos do processo de globalização
sobre o processo de desenvolvimento econômico e social e as desigualdades econômicas,
sociais, regionais, nacionais e internacionais.
2.1 A DINÂMICA DE DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA MUNDIAL
Para entender a evolução da economia mundial do Século XV ao SéculoXX, é preciso
retroagir no tempo, desde as origens do capitalismo. Além disso, é necessário entender o
capitalismo da forma como concebeu Braudel (1982), que admitiu ser ele constituído por uma
camada superior de uma estrutura em três patamares: a camada inferior, a mais ampla, de uma
economia extremamente elementar e basicamente auto-suficiente, que denominou de vidamaterial, a camada da não-economia, o solo em que o capitalismo crava suas raízes, mas na
qual nunca consegue penetrar. Acima dessa camada, vem o campo da economia de mercado,
com suas muitas comunicações horizontais entre os diferentes mercados em que há uma
coordenação automática que liga a oferta, a demanda e os preços. Depois dessa camada e19
acima dela, vem a zonado antimercado onde circulam os grandes predadores e vigora a lei
das selvas. Esse — hoje como no passado, antes e depois da revolução industrial — é o
verdadeiro lar do capitalismo (Figura 2).
ANTIMER CADO
ECO NO MIA D E MER CADO
VIDA MATER IAL
Figura 2 – Estrutura do capitalismo em camadas segundo Fernand Braudel
Como afirma Arrighi (1996), a questão principal não éidentificar quando e como uma
economia mundial de mercado ergueu-se acima das estruturas primordiais da vida cotidiana,
mas quando e como o capitalismo ergueu-se acima das estruturas da economia mundial de
mercado preexistente e, com o correr do tempo, adquiriu seu poder de moldar de maneira
nova os mercados e as vidas do mundo inteiro. Defende a tese de Braudel quando afirmaque
a metamorfose da Europa no monstruoso modelador da história mundial em que ela
se transformou depois de 1500 não foi uma simples transição. Foi, antes, uma série
de etapas e transições, datando a primeira delas de muito antes do que se costuma
conhecer como o Renascimento do fim do século XV. (Arrighi, 1996, p.11)
Segundo Arrighi (1996), em parte alguma do planeta essa metamorfoseaconteceu, à exceção
da Europa onde algumas nações foram impelidas à conquista territorial do mundo e à
formação de uma economia mundial capitalista poderosa e verdadeiramente global. Considera
ainda que a transição importante que precisa ser elucidada não é a do feudalismo para o
capitalismo, mas a do poder capitalista disperso para um poder concentrado, e que o...
tracking img