Economia brasileira

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3954 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
CURSO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
DISCIPLINA DE ECONOMIA BRASILEIRA
PROF. ANTONIO G. DE ASSUMPÇÃO/JAIME G. TRINTIN

RESPONDA AS QUESTÕES A SEGUIR ASSINALANDO FALSA (F) OU VERDADEIRA (V).

1 – São características do comportamento da economia brasileira e da política econômica na última década do século XIX:

a) (V)O crescimento do trabalho assalariado, impulsionado pela abolição da escravidãoe pela imigração européia;
b) (F)A política monetária implantada por Rui Barbosa foi extremamente austera (contracionista), tendo por base emissões bancárias lastreadas em ouro;
c) (V)Com a difusão do trabalho assalariado, cresceu o grau de monetização e a demanda por meda na economia.
d) (F)VA estagnação da produção cafeeira em função da queda dos preços internacionais do produto;2 - O acordo e Taubaté, em 1906, estabeleceu as bases para o desenvolvimento do setor cafeeiro no Brasil, porque:

a) (F)Criou um plano de valorização para aumentar o fluxo de mão-de-obra imigrante, a fim de viabilizar a expansão da produção;
b) (F)Abriu uma linha de financiamento para aquisição de terras e investimento em melhorias das propriedades agrícolas;
c) (V)Crioucondições para controlar a oferta vis-à- vis à demanda externa de café, elevando os preços no mercado internacional;
d) (F)Possibilitou a valorização da libra esterlina em relação ao mil réis, favorecendo o aumento da receita de exportações em mil réis;
e) (F)Incentivou o aumento da oferta de café no mercado externo, com mecanismos de controle da demanda interna.

3 – No convênio celebrado emTaubaté, em fevereiro de 1906, definiram-se as bases do que se denominou política de valorização do café. Essa política se constituiu:

a) (F)No estabelecimento de que o financiamento das compras far-se-ia mediante emissão de papel-moeda, devido às dificuldades de obtenção de empréstimos externos;
b) (V)Estimulou os governos dos estados produtores de café a desencorajar a expansão dasplantações;
c) (V)Criou um novo imposto, cobrado em ouro sobre cada saca de café exportada, para cobrir o serviço dos empréstimos estrangeiros.
d) (V)Numa intervenção governamental no mercado de café, mediante a compra de excedentes para reestabelecer o equilíbrio entre a oferta e a demanda;

4 – Em relação aos efeitos da crise de 1929 sobre a economia brasileira, é possível afirmar que“(...) a política de defesa do setor cafeeiro nos anos de grande depressão concretiza-se num verdadeiro programa de fomento da renda nacional” (Furtado). Em síntese, esta política consistia no(a):

a) (F)Valorização do preço do café estabelecida pelo acordo de Taubaté;
b) (F)Compra e formação de estoques reguladores, pelo governo, de café que foi exportado posteriormente após a crise de1929-32.
c) (F)Conversão das dívidas do setor cafeeiro em títulos do governo;
d) (V)Compra e destruição do café pelo governo, com o objetivo de proteger esse setor;
e) (F)Estímulo ao emprego;

5 – A crise mundial deflagrada em 1929 levou o governo brasileiro a implementar, durante os anos da grande depressão, uma política dirigida especificamente ao setor cafeeiro. Essa política:

a)(V)Pode ser caracterizada como anticíclica, de fomento da renda nacional;
b) (V)Consistiu, essencialmente, na garantia de um preço mínimo de compra do café pelo governo;
c) (F)Ao reduzir a renda do setor exportador, levou (por seu efeito multiplicador) ao aumento do desemprego nos demais setores da economia;
d) (V)O imposto de exportação e o empréstimo externo contraído pelo governo deSão Paulo em 1930 foram decisivos para o financiamento das compras de café;
e) (F)O mecanismo cambial não seria capaz, por si só, de constituir, naquele momento, um instrumento efetivo de defesa da economia cafeeira frente à crise.

6 – Durante a primeira república, a desvalorização cambial deixou de ser útil como instrumento de defesa da renda cafeeira, sendo substituída pela...
tracking img