Dislexia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1564 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A Dislexia na Família e na Escola
Uma questão de linguagem Por Clélia Argolo Estill

A dislexia é apenas um recorte numa linda paisagem – o Ser Humano.
Sabemos que a dislexia é um transtorno severo de leitura e escrita, repercutindo nas atividades de aprendizagem em geral, mas certamente não é um obstáculo. As dificuldades de aprendizagem configuram-se como um labirinto de muitas portas, comentrada e saída. É essencial encontrar a porta de entrada, aquela que permite à pessoa com dislexia encontrar-se com suas dificuldades e desenvolver as suas habilidades, chegando fortalecida e segura à porta de saída.
A dislexia na família não pertence apenas ao portador deste transtorno, mas envolve a todos. A família é muito mais do que a soma de seus membros, ela é uma totalidade. Esta é arazão essencial para que todos estejam envolvidos na dislexia de um de seus membros. O quê, porque, quando e como auxiliar... são perguntas que levam todos os familiares a refletir sobre qual será o seu papel neste trabalho cooperativo. É difícil receber um diagnóstico de dislexia, ou qualquer outro diagnóstico que envolva dificuldades ou transtornos de aprendizagem. Surgem, inicialmente, sentimentosconfusos de ansiedade e culpa. Mas passado o primeiro impacto do diagnóstico, a “totalidade familiar” une as suas forças e vai em busca de informações e soluções.
Compreensão, aceitação e confiança são as respostas que a família irá encontrando nesta trajetória. Compreensão, porque conhecendo melhor o que é a dislexia poderá identificar as dificuldades e assim oferecer melhor ajuda. Aceitação,porque sensibilizada com as dificuldades funcionais da dislexia não irá confundir este comportamento leitor com desinteresse ou preguiça de ler. Confiança, porque tendo adquirido novas aprendizagens, a família poderá auxiliar a pessoa com dislexia a sentir-se mais compreendida, aceita e confiante em si e nos outros. É possível viver uma vida com qualidade apesar das dificuldades, se introduzirmos nonosso dia-a-dia ingredientes de afeto, sensibilidade e atenção. Não é fácil, é uma aprendizagem e um exercício de bom senso. Como diz a Dra. Eileen M. Cronim, Ph.D , em seu livro “Helping YourDyslexic Child” (Prima Publishing –1997)
“ As crianças que confiam em suas capacidades para realizar a maior parte das coisas – e que se sentem completamente amadas – não deixam que as dificuldades asperturbem por muito tempo.”
O que é bom para o disléxico é bom para todos, e a comunicação oral é essencial a todos nós. A comunicação oral, como função neurológica, ativa os centros de processamento da compreensão e
produção da linguagem, ampliando os recursos para as aquisições da língua escrita. Mas a Linguagem é muito mais do que uma função cognitiva, a linguagem é comunicação e interação deconhecimentos,
afetos, desejos, pensamentos. É ela que nos integra ao mundo.
A dislexia é considerada, atualmente, como um transtorno de leitura, proveniente de alterações no processamento da linguagem oral. Os estudos atuais da neurociência, através de imagens de ressonância magnética funcional, demonstram que são transtornos funcionais nas áreas de recepção auditiva que produzem estas dificuldadespara perceber, identificar, localizar e analisar os sons da fala.
As atividades de processamento neurológico da linguagem são habilidades fonológicas, que respondem diretamente pela capacidade da aprendizagem da leitura e, por conseqüência, da escrita.
Crianças com funcionamento cognitivo fonológico íntegro, quando vivem num ambiente falante e farto de informações, vão retirando, naturalmente,dos sinais lingüísticos que as envolvem, todas as aprendizagens básicas para tornarem-se bons leitores. O inverso não é verdadeiro. Se forem fonologicamente saudáveis, mas viverem num mundo cheio de barulhos, porém vazio de comunicação oral, sem palavras, não terão de onde retirar o alimento sonoro para viverem o “estalo”, a descoberta de que as letras representam os sons da fala. Numa viagem...
tracking img