Corporeidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 28 (6949 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
CADERNO DE ESQUETES[1] EDUCATIVOS[2]

MOTIVOS PARA PESQUISA E PARA A AÇÃO NA COMUNIDADE

Autoria: Heitor Rocha Gomes

Sai da fila

A escola do presente
É viva e presente no aqui e no agora
De olho no que virá
Tem professores com assas
Que voam e ensinam voar
mas que também têm raízes e que ensinam seus educando a encontra-las
Não são mansos
Não são feras
São pessoas que semeiamesperança
Que lutam por dignidade para si e para o outro
São aprendizes. Sabem que ninguém é uma tabula rasa
Que todos trazem leituras prévias de mundo
Que todos têm um corpo afetivo, emotivo sexuado....desejante
A escola do presente
Relembra o passado para reconstituir e constituir identidade
Questiona a historia passada e presente
Sabe que a humanidade é feita de sujeitos históricos
Eque a realidade é construída por homens e mulheres
Meninos e meninas e que a escola tem um grande papel nessa construção
A escola presente não é modista
Ela tem uma postura
Uma proposta que é criada e re-criada a partir das necessidades que surgem no processo
Não vive nas nuvens tem consciência que está inserida numa comunidade que nesta tem um papel... Por isso não fecha a porta ao contextoque a cerca...
Ela se capacita
Acompanha o tempo que não para
Brinca com a criança
Busca com o jovem
Madurece com o adulto
E começa tudo de novo sem perder o seu papel
De facilitadora de aquisição de conhecimentos construídos ou acumulados pela humanidade
Suas professoras
Secretárias
Funcionários e funcionários sabem de sua importância
E sabem que não devem estar sós numa tarefa tãocomplexa
Por isso se reúnem
Para planejar
Projetar
Para celebrar
Na escola presente todos são gerentes nos seus diversos papeis...
A escola presente é viva
E deve promover dignidade..

Escola viva! Viva a escola!
( Heitor Rocha Gomes

A história fala de dois personagens que querem invadir a escola para destruí-la. O conflito acontece quando outros personagens intencionam realizar umtrabalho de conservação e melhoria da escola. Os dois grupos disputam à atenção dos alunos tentando ganhá-los enquanto outros dois personagens recitando, cantando e brincando falam do prazer de estar na escola.
Personagens:
Dr. Arrebenta
Escoberta
Antenor
Viviane
Traquinaldo
Evasildo

(primeira cena frente à escola)
Dr. Arrebenta - Muito bem! Muito bem!(Fala olhando a escola por cima de ummuro)
Dr. Arrebenta-Eu quero saber quem foi o engraçadinho que acabou com todo o meu trabalho! Eu tenho tanto cuidado para manter tudo sujo e acabado, e de repente, depois de tantos anos de estragos, me chega algum estúpido de bom gosto e põe tudo a perder!
Traquinaldo - O senhor tem toda razão chefinho! Tem toda razão. E o que é que nós vamos fazer heim? Vamos começar a sujar tudo de novo nãovamos?
Dr. Arrebenta-Sujar? Não... Dessa vez vai ser algo mais sério. Algo bem pior, bem elaborado... Um grande plano a há, há, há, há, há, há, há !
Traquinaldo-Me conta chefinho estou me coçando todo de tanta curiosidade.
Dr. Arrebenta - Tenha paciência Traquinaldo, tenha paciência eu ainda estou pen-san-do (faz grande esforço para pensar).
(Traquinaldo para platéia) - Adoro quando ochefinho pensa. Quando ele pensa, pensa um monte de coisas sujas... Aí tem sempre algo de podre e ruim para me ensinar. Vocês gostam de pessoas que pensam coisas ruins? (provoca a platéia e espera a resposta).
Dr. Arrebenta - Achei , achei, achei, achei!!
(Traquinaldo sai pulando e cantando feliz pelo chefe) _ Achou o que chefinho?
Dr. Arrebenta - Achei a idéia, uma terrível e suja idéia. E vouprecisar de alguém muito sujo e falso para colocá-la em prática.
Traquinaldo - Alguém?(fica decepcionado) Mas e eu chefinho do coração? E eu que é que eu faço!
Dr. Arrebenta - Você (roda enquanto pensa na função do seu subordinado), você, você... Já sei! Você será meu CICA.
Traquinaldo - CICA? (olha para o chefe sem gostar do nome, depois se refaz e olha feliz e repete) CICA, CICA (fala para...
tracking img