Bonavides

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1909 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
"Minha verdadeira glória não foi ter vencido quarenta batalhas; Waterloo apagará a lembrança de tantas vitórias. O que ninguém conseguirá apagar, aquilo que viverá eternamente, é o meu Código Civil" Napoleão Bonaparte

Quem foi Napoleão?
General aos 24 anos de idade, Napoleão Bonaparte era natural da Córsega, ilha do Mediterrâneo pertencente à França.
Estrategista admirável, aos 35 anos deidade tornou-se imperador da França.
A têmpera do seu espirito conduzia-o sempre para o positivo. Afastava as ideias vagas, odiava igualmente os sonhos dos visionários e as abstrações dos ideólogos e chamava de maçante a tudo que não lhe apresentasse exames claros e resultados uteis.
Era dotado dez um tato particular para reconhecer os homens que podiam ser-lhe úteis. Rapidamente, descobria olado pelo qual poderia tirar partido deles.
Napoleão olhava-se como um ser isolado no mundo, feito para governa-lo e para dirigir os espíritos à sua vontade. Os êxitos políticos de que estava cheia a sua vida tinham sem duvida acabado por cega-lo.

Contexto que antecede o Código

Durante o período do diretório, fase final da Revolução Francesa, a França , minada pela inflação, pela especulação epela corrupção administrativa viu-se mergulhada numa grande crise. essa situação causava mal-estar na sociedade, particularmente na burguesia, que temia perder suas conquistas.
Diante desse quadro, a burguesia francesa buscou um líder capaz de estabelecer um governo forte e estável, que permitisse consolidar sua posição de classe dominante, conquistada com a supressão da monarquia e a eliminaçãodos privilégios da nobreza. Esse líder foi Napoleão Bonaparte. Jovem General do exercito francês que se destacara pelos seus feitos militares desde a época da Convenção.
Descontentes começa situação, os banqueiros financiaram a reorganização das tropas de Napoleão. Em novembro de 1799, o general aplicou um golpe de estado (18 de Brumário), depondo o Diretório e implantando o Consulado- umaditadura militar composta de três membros, os cônsules. O poder de fato estava nas mãos de Bonaparte, que ocupava o cargo de primeiro cônsul.
O fim do processo revolucionário na França, com o Golpe 18 de Brumário, marcou o início de um novo período na história francesa, e consequentemente, da Europa: a Era Napoleónica.
 
Seu governo pode ser dividido em três partes:
1. Consulado (1799-1804)2. Império (1804-1814)
3. Governo dos Cem Dias (1815)
 

A velha França não somente era um mosaico de códigos que se sobrepunham (havia 366 nas vésperas da Revolução de 1789), Juridicamente não havia uma nação, mas um grande retalho formado de procedimentos feudais, leis derivadas do direito canônico e do direito romano que se misturavam aos decretos reais.
O Código Civil Napoleônicoinstitucionalizou o governo do consulado. Em suas disposições, o código garantia as principais conquistas da revolução, como liberdade individual, igualdade perante a lei e direito à propriedade privada apoiando-se na lei le Chapelier, que proibia a organização de sindicatos operários, prevendo severas punições para os grevistas.
Preocupados em estabelecer a ordem e conter o principio doindividualismo oriundo da revolução, os autores do código civil de Napoleão criaram uma hierarquia social baseada na autoridade do pai(no âmbito familiar) e do patrão( na esfera social)

O Código
Napoleão conseguiu dar à França um conjunto de códigos, que constituem um dos mais notáveis esforços de sistematização de regras jurídicas de toda a historia, foram sucessivamente promulgados um código Civil, umcódigo de Processo Civil, um código comercial, um Penal e um Código de instrução Criminal. A maior parte deles manteve-se em vigor até os nossos dias, tanto na França como na Bélgica. Além disso, influenciaram a codificação em numerosos países na Europa e América Latina.
O Código Civil não é apenas escrito para os juízes e para os jurisconsultos, mas para esclarecer todos os cidadãos, dizia...
tracking img