Bmw vermelha

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 48 (11830 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

Este texto trata-se de um estudo acerca de como se dá o processo de ensino aprendizagem da Educação Ambiental nas escolas públicas e privadas, como se foi a evolução dos seus conceitos, como ela é introduzida no âmbito escolar e quais as dificuldades que os professores enfrentam na hora de planejar as aulas sobre Educação Ambiental.
Vivemos numa era global onde os problemasecológicos se tornaram lugar-comum no discurso da sociedade principalmente no âmbito escolar, sendo assim vê-se a necessidade de se introduzir nas escolas uma educação ambiental voltada para a sustentabilidade que desperte o interesse dos alunos e que o leve a agirem numa perspectiva preventiva quanto aos problemas do meio em que vivem.
A Educação Ambiental é definida por (DIAS, GENEBALDO, 2004, p.100)como um processo por meio do qual as pessoas aprendam como funciona o ambiente, como dependemos dele, como o afetamos e como promovemos a sua sustentabilidade. É mais que o ensino de ciências, biologia, química, física, geografia, ensino de ecologia etc. Pois tem como objetivo “mudanças de atitudes, cuidado e respeito dos sujeitos” com o ambiente. Assim a educação ambiental deve tratar dos“valores”, da necessidade de promover a “mudança de comportamentos, de responsabilidade, participação e cidadania” (TOZONI-REIS, 2004, p.70).
A educação para a sustentabilidade deve ser inserida nas escolas de maneira que leve os estudantes a interagirem com o meio em que vivem, proporcionando à eles um contato direto com os problemas ambientais enfrentados atualmente para que se desenvolva neles novoscomportamentos diante da sociedade.
É certo que a educação para a sustentabilidade está contemplada em diversos documentos educativos e programas, No entanto, a eficácia das abordagens ao nível da sala de aula deixa ainda muito a desejar (FIGUEIREDO, Op.Cit).
Com um ensino maioritamente sustentado em práticas expositivas e transmissivas que não apelam ao desenvolvimento critico ou a tomada dedecisões, a educação para a sustentabilidade fica-se pelos aspectos descritivos que pouco significado tem para os alunos (FIGUEIREDO, Op.Cit).
Os educadores da atualidade têm-se perdido em meio a numerosas estratégias de mudança didática nas escolas. Essas estratégias vão desde reformas ditadas “de cima para baixo”, exigidas pelo ministério da Educação, até iniciativas populares da comunidade. As maisholísticas dessas iniciativas salientam a importância da união e da colaboração ao longo de todo o processo de mudança. A maior parte, contudo, não aborda diretamente as necessidades do ambiente global. (HUTCHISON, 2000, p.163)
Sendo assim, fica claro que diante da tecnologia que temos hoje, a Educação Ambiental dentro de uma sala não tem artefatos que despertem o interesse dos alunos, quepromova a curiosidade e a pratica para a conservação.
A educação ambiental já é de fato obrigatória em todos os níveis de ensino de acordo com a lei n° 9795, de 27 de abril de 1999 que dispõe em seu art.2° que a Educação Ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional, devendo estar presente de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráterformal e não-formal. Porém o que tem chamado a atenção é a maneira como ela é introduzida nas escolas. A maioria dos professores se prende dentro da sala de aula e para que a Educação Ambiental (EA) aconteça de maneira eficaz, os alunos precisam de um contato direto com o problema, vivenciar aquilo que ele está estudando.
Nesse aspecto, algo mais é necessário, dentro do processo de mudança, jáque nenhuma estratégia, holística ou não, pode garantir que uma abordagem ambientalmente sensível da mudança nas escolas será adotada a menos que essa seja a clara intenção de todos desde o inicio.
Segundo Guimarães, (1995), na EA as diversidades devem ser trabalhadas pelo educador, de modo que sensibilize o educando de acordo com a sua realidade local, ou seja, trabalhar a vivência...
tracking img