Ambiental

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4016 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
o[pic] Faculdade Integrada do Ceará
Pós-Graduação em Engenharia Ambiental e Saneamento Básico
Disciplina: Avaliação Ambiental
Prof: José Wilmar da Silveira Neto

























Os Estudos de impactos Ambientais de indústrias da construção civil






































Equipe:
GiovannaIdalina de Andrade Sales
Renata Franco Nunes de Almeida
Roselena Barreto Cavalcante
Thatiany Kelly de Sá Nunes







Sumário








1. Introdução 3
2. Estudo dos Impactos Ambientais – EIA 6
3. Influências das atividades da construção civil no meio ambiente 9
4. Processo de Avaliação do Impacto Ambiental e seus componentes 15
5. Considerações Finais 17
6.Referências Bibliográficas 19
7. Anexo 20




Introdução




Até a década de 50, a natureza era considerada somente como um pano de fundo em qualquer discussão que abordasse a atividade humana e suas relações com o meio. Acreditava-se que a natureza existia para ser compreendida, explorada e catalogada, desde que utilizada em benefício da humanidade. Por outro lado, o avanço datecnologia no pós-guerra, dava sinais que não existiriam problemas que não pudessem ser resolvidos.


Os movimentos sociais que tiveram início nos anos 70 representaram um marco na humanidade e em particular para a formação de uma consciência preservacionista embasada, naquele momento, nos princípios do equilíbrio cósmico e harmonia com a natureza. A palavra ecologia passa a ser um termo muitoutilizado.


A década de 80 foi um período de grande desenvolvimento econômico e técnico. O bem estar material voltou a ser relevante, independentemente dos prejuízos à natureza que sua produção pudesse provocar.


Somente no final dos anos 80, entretanto, no processo preparatório da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano, a RIO 92, foi aprofundada a questão doDesenvolvimento Sustentável, que se contrapunha à tese-chave que imperara até então de que é possível desenvolver sem destruir o meio ambiente.


O documento resultante da RIO 92, a “Agenda 21”, resultou de um despertar sobre uma consciência ambiental, sobre a importância da conservação da natureza para o bem estar e sobrevivência das espécies, inclusive a humana. O documento propunha que asociedade assumisse uma atitude ética entre a conservação ambiental e o desenvolvimento. Denunciava a forma perdulária com que até então eram tratados os recursos naturais e propunha uma sociedade justa e economicamente responsável, produtora e produto do desenvolvimento sustentável.


Na indústria da construção civil, até então, não havia nenhuma preocupação quanto ao esgotamento dos recursos nãorenováveis utilizados ao longo de toda sua cadeia de produção e, muito menos, com os custos e prejuízos causados pelo desperdício de materiais e destino dados aos rejeitos produzidos nesta atividade.


No Brasil, em particular, a falta de uma consciência ecológica na indústria da construção civil resultou em estragos ambientais irreparáveis, agravados pelo maciço processo de migração havido nasegunda metade do século passado, quando a relação existente de pessoas no campo e nas cidades, de 75 para 25%, foi invertida, ocasionando uma enorme demanda por novas habitações.


No conteúdo das discussões sobre a “Agenda 21”, nasceu um movimento denominado de “Construção Sustentável”, que visava o aumento das oportunidades ambientais para as gerações futuras e que consistia em umaestratégia ambiental com visão holística.

Repensava toda a cadeia produtiva, iniciando pela extração de matérias primas. Levavam em consideração os processos produtivos, com preocupações extensíveis à saúde dos trabalhadores envolvidos no processo e considerava os consumidores finais das edificações.

Fundamentava-se na redução da poluição, na economia de energia e água, na minimização da liberação...
tracking img