Natureza

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2137 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UM POUCO DE HISTÓRIA (BERNARDES, J. de S. Psicologia social contemporânea)



Abordaremos o início da Psicologia Social moderna como um fenômeno norte americano. No Brasil, verificaremos o surgimento da psicologia social, relacionada à criação de associações e instituições. Finalmente, verificaremos desdobramentos e atravessamentos epistemológicos vivenciados contemporaneamente em psicologiasocial.

HISTÓRIAS

Existem formas e formas de se contar uma história. A perspectiva autor, texto e seu contexto, crenças, conceitos e pré-conceitos delimitam recortes de contar uma história. Se nos determos às pessoas, a história ganha uma variedade inimaginável. Assim, não se deve pensar a história de uma disciplina a partir da vida pessoal de um autor ou apenas em relação aos seusconceitos. Deve-se levar em consideração o eixo epistemológico dela e seus atravessamentos sócio-históricos.

Questionamento da perspectiva determinista-linear de história: A relação entre o passado determinando um presente que determina o futuro -> linearidade: na maioria das vezes mais obscurece o desenvolvimento de determinada questão do que lança luzes sobre ela.

Fatos presentes, por exemplo,podem resignificar o passado e consequentemente modificar o presente. Com isso, os caminhos do futuro, antes imaginariamente certos, são todos refeitos.

Abala-se a estrutura linear da temporalidade. Tempo e espaço se modificam e entra em cena um ponto importante: o simbólico. Dito de outra forma, a leitura do processo histórico pelo simbólico, que se define pela diversidade de sentidos esignificados que atribuímos às coisas, permite um reposicionamento do sujeito diante das coisas e fenômenos em relação ao tempo. Uma outra maneira de ver como a história se transforma.

“O processo histórico é contínuo, mas não linear. Não é uma linha reta, muito ao contrário, possui idas e vindas, desvios, avanços e recuos, inversões, etc. Todos os acontecimentos presentes possuem relações comfatos passados, todas as chamadas rupturas históricas não acontecem da noite para o dia e, sim, são lentamente preparadas (Borges, 1987)”.

Ex: guerra -> conflitos fazem parte de tradições e histórias entre povos.

No Brasil, por exemplo, a todo momento novos documentos sobre a ditadura militar vem à tona e resignificam o presente, o passado e o futuro.



UM PASSEIO PELAPSICOLOGIA SOCIAL NO OCIDENTE

Três pontos são considerados importantes, por Bernardes, para a História da Psicologia Social:

1) Repúdio positivista de Wundt;

2) Filosofia da ciência claramente vinculada ao positivismo;

3) Importância e influência de determinadas instituições e fatos históricos no desenvolvimento da Psicologia Social.



Repúdio positivista de WundtWilhelm Wundt (1832 - 1920), filósofo considerado o pai da Psicologia. Em 1860 ele estabelece três objetivos para sua carreira profissional.

Primeiro objetivo: construção de uma psicologia experimental, ou conhecido como, projeto wundtiano para a psicologia como ciência independente. Esse objetivo é alcançado pela criação do Laboratório em Psicologia em 1879 em Leipzig, por meio da criação deuma Psicologia experimental da mente, que tinha como objeto de estudo a experiência imediata à consciência / com seu método experimental-introspectivo. Além disso, ele criaa primeira edição de sua Psicologia Fisiológica em 1874 e em 1881 a revista Estudos Fisiológicos.




Segundo objetivo: Elaborado entre 1880 até 1900. Criação de uma metafísica científica ou uma filosofia científica.Nesse objetivo, Wundt elabora três obras – uma de lógica (conjunto de estudos que visam determinar quais são os projetos intelectuais ou as categorias racionais para a apreensão do conhecimento), uma Ética (conjunto de estudos dos juízos de apreciação da conduta humana) e um Sistema filosófico (conjunto de estudos das principais concepções filosóficas para Wundt).

Estas três obras...
tracking img