Academico de direito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3242 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Resumo

A Copa do Mundo de 2014 é nossa e já começou, ela coloca em jogo nada menos do que a capacidade de todo um país se organizar para tornar realidade as oportunidades que um evento dessa magnitude propicia não apenas ao esporte, mas à economia, à sociedade e ao futuro da nação. As cifras envolvidas na realização de uma Copa do Mundo impressionam e dão uma idéia da dimensão dos negócios quepodem ser gerados e revertidos em lucro e desenvolvimento. Mais importante do que os estádios são todas as atividades complementares, como obras de infra-estrutura, preparo do capital humano e planejamento dos eventos a serem realizados em torno dos encontros esportivos. A mobilização deve ser bem direcionada e envolver governos, investidores privados e, obviamente, a Confederação Brasileira deFutebol (CBF), além de todos aqueles que, de alguma forma, participarão do evento. Se o propósito é construir um legado, é preciso pensar no uso das instalações após o evento. Os estádios hoje no Brasil são pouco utilizados e têm infra-estrutura e tecnologia defasadas. Os empreendimentos podem ter investimento e operação privados, garantindo um melhor aproveitamento dos projetos após a Copa. A Copado Mundo de 2014 também entrará para a história como a primeira a estabelecer parâmetros ecológicos e sociais a serem cumpridos por governos e empresas privadas que participem de sua organização. É o que a FIFA chama de “green goal” (gol verde), criado para marcar a preocupação com o meio ambiente e a sustentabilidade na realização de grandes eventos. Entre as exigências “verdes” da FIFA, quedeverão ser obrigatoriamente seguidas pelo Brasil, estão a criação de programas de reutilização, reciclagem e redução do lixo e a neutralização de todo o carbono produzido no evento.

A lição deixada pela maioria dos países que sediaram grandes eventos esportivos, como Copa do Mundo ou Olimpíada, mostra ao Brasil que quem começa antes e se planeja bem ganha mais. E é isso o que as cidades eleitasprecisam fazer agora.

PALAVRAS CHAVE: Copa do mundo, meio ambiente, Infra-estrutura e investimento.

Introdução

A Copa do Mundo-2014 trará muitos prejuízos ao meio ambiente, de acordo com especialistas reunidos em Copenhague para a Conferência sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas, o nível de contaminação causado pelo torneio no Brasil será bastante superior ao verificado na Alemanhaem 2006. O transporte aéreo é o grande “vilão” deste impacto. Cerca de 85% da contaminação será causada pelo setor, por conta da longa distância do Brasil em relação aos países com maiores concentração de torcedores, na Europa e na Ásia. Além disso, o meio ambiente sofrerá outros prejuízos, as emissões totais de CO2 para o próximo Mundial superarão a marca de 2,75 milhões de toneladas. A ONU fezum apelo aos torcedores para que compensem economicamente o impacto ambiental provocado por eles. O órgão negocia com as seleções para que elas façam o mesmo. As Nações Unidas calculam um gasto em torno de US$ 33 milhões para a compensação do CO2 gerado com as viagens de avião.

A Copa do Mundo de 2014 é Mais do que seleções disputando um título em estádios lotados de pessoas alegres, a Copa éuma indústria que movimenta bilhões de dólares, atua em diversos setores da economia e gera muitos empregos. Muitos mesmo, para 30 dias de celebração mundial, ela requer anos de preparação e uma cadeia produtiva altamente impactante para o meio ambiente. A mesma já está sendo chamada de a “Copa Limpa” ou a “Copa Sustentável”. No entanto, para que ela realmente se concretize, precisamos resolver doispontos nevrálgicos: transportes e construção civil. Quem mora nas maiores cidades do país sofre com a precariedade dos transportes públicos, sendo praticamente obrigado a utilizar veículos particulares para a mobilidade diária.

Pelo lado da construção civil, por mais que já se discuta amplamente a sustentabilidade no setor, não há como negar o brutal impacto da atividade no meio ambiente....
tracking img