Aspirina

Páginas: 12 (2937 palavras) Publicado: 14 de agosto de 2013
UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro
Escola de Química

ASPIRINA
“O medicamento que faz maravilhas”

Alunas:
Cibelle Turra
Danielle

25-Nov-2008

Professora:
Cheila Gonçalves Mothé

1/43

ASPIRINA
“O medicamento que faz maravilhas”



Índice
1.
2.
3.
4.

5.
6.
25-Nov-2008

Motivação
Objetivo
Histórico
Desenvolvimento
4.1. A Aspirina
4.2. Mecanismode ação – Como funciona a Aspirina?
4.3. Mecanismo de síntese do ácido acetilsalicílico
4.4. Procedimento Experimental para a obtenção do AAS
4.5. Procedimento Experimental para Purificação do AAS obtido
4.6. Análise Térmica – Calorimetria Exploratória Diferencial (DSC)
4.7. Análise do Espectro de Infra-Vermelho (FTIR)
Conclusão
Bibliografia
UFRJ – Universidade Federal do Rio de JaneiroEscola de Química

2/43

ASPIRINA
“O medicamento que faz maravilhas”



Motivação



A indústria farmacêutica é um dos setores em que as sínteses assumem maior
importância, pois inúmeros medicamentos são obtidos através da síntese de
compostos orgânicos.



Os fármacos de origem sintética representam significativa parcela do mercado
farmacêutico mundial, estimado, em 2000, em390 bilhões de dólares.



A Aspirina, nome pelo qual é conhecido o ácido acetilsalicílico (AAS), é o
analgésico mais consumido e vendido no mundo. Em 1994, somente nos EUA,
foram vendidos cerca de 80 bilhões de comprimidos.

25-Nov-2008

UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro
Escola de Química

3/43

ASPIRINA
“O medicamento que faz maravilhas”

“Geração analgésico”“Estamos no século XXI. Não nasci para sentir dor. Se fico tenso, tomo
calmante. Se tenho insônia, tomo remédio para dormir. Se posso ir à Europa
de avião, por que iria remando?”
A.K.Gill, 16 anos - Revista O Globo - 26/06/2005

25-Nov-2008

UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro
Escola de Química

4/43

ASPIRINA
“O medicamento que faz maravilhas”

O que motiva o consumo?









Apologia do “aqui” e “agora”
Incapacidade de lidar com a dor e de suportar privações
Vendas sem controle
Baixo custo
Proliferação de similares
Publicidade
Auto medicação
Falsa sensação de segurança

25-Nov-2008

UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro
Escola de Química

5/43

ASPIRINA
“O medicamento que faz maravilhas”

Consumo de Analgésicos noBrasil

Medicamentos: ameaça ou apoio à saúde?
Marilene Cabral – Editora Vieira e Lent - RJ - 2003

25-Nov-2008

UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro
Escola de Química

6/43

ASPIRINA
“O medicamento que faz maravilhas”



Objetivo



Este trabalho teve por objetivo a obteção o ácido acetilsalicílico (AAS) um cristal de cor branca - a partir de uma mistura entre oácido
salicílico e o anidrido acético, além de algumas gotas de ácido sulfúrico
(catalisador).



Além disso, após a obtenção dos cristais, realizaram-se as análises de
FTIR e de DSC, cuja finalidade era a de se comparar as amostras
obtidas com o AAS comercial padrão (comprimido).

25-Nov-2008

UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro
Escola de Química

7/43

ASPIRINA
“Omedicamento que faz maravilhas”



Histórico


Hipócrates – “Pai da Medicina”


25-Nov-2008

Há 2400 anos, sugeria a ingestão de folhas de salgueiro por
mulheres grávidas para aliviar as dores do parto

UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro
Escola de Química

8/43

ASPIRINA
“O medicamento que faz maravilhas”



Histórico


Edward Stone - religioso


Nasegunda metade do século XVIII, fez um estudo com
pacientes no qual estes mascavam a casca da árvore conhecida
como Salgueiro – acreditava que esta planta tinha poderes
“milagrosos” no combate à febre da malária



Descobre que, na verdade, ela era eficaz contra as dores do
reumatismo, além de baixar a febre.



Apresenta este estudo à Real Sociedade de Londres (1763)

25-Nov-2008...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • A Aspirina
  • Aspirina
  • Aspirina
  • Aspirina
  • aspirina
  • aspirina
  • aspirina
  • Aspirina

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!