O principe

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (643 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1-Por que o adjetivo maquiavélico e o substantivo maquiavelismo não representam a filosofia política de Maquiavel?
R: Ao longo da história, esses termos adquiriram uma carga negativa que não estavapresente na obra de Maquiavel: ao escrever o Príncipe, ele não tinha por objetivo ser falso ou enganar ou qualquer outra atividade negativa, mas, apenas orientar o detentor temporal do poder sobrecomo deveria agir, política e socialmente falando, para manter-se, legitimamente, no poder.
2-O termo maquiavelismo é apropriado porque remete a uma leitura crítica da experiência política a partir daótica de Maquiavel como bom observador de seu contexto renascentista e das tramas do poder que ais ocorriam. Explique a aplicabilidade do livro O Príncipe como manual de dominação e, ao mesmo tempo,como pistas para resistência contra os poderosos.
3-Um príncipe para ter “virtù”, precisa mostrar-se apto à flexibilidade conforme as circunstâncias, o contrario fracassará. Nesse aspecto, quando eledeve seguir o que é certo e o que é errado?
R: Ao abordar a virtù maquiaveliana, constatamos que um verdadeiro príncipe prudente e corajoso que visa ao bem estar de seu Estado deveria construir um novoespelho que garantisse a estabilidade e a paz políticas necessárias à vida humana. Em outras palavras, entender a importância da arte da guerra, associada à prudência do príncipe, é entender que avirtù de guerra serve para afastar os inimigos externos e manter a coesão interna.
Maquiavel constata que dois fatores são os sustentáculos garantidores da estabilidade e segurança de um governosoberano: boas leis e boas armas. A concepção da política maquiaveliana fundamenta-se no fato de que é impossível existirem boas leis e boas armas se não houver um homem de Estado ousado e viril, como ummodelo a ser seguido.

“4- A regra geral é de que, quando estrangeiro poderoso penetra numa província, todos os habitantes menos poderosos o apoiam movido pela inveja dos que tinham poder maior...
tracking img