O marketing nas lojas c&a

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1460 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
História
[pic]
Clemens & August 
Os primeiros membros da família Brenninkmeyer eram comerciantes de linho e têxteis no século XVII, mas a história do êxito começou há 200 anos, quando os irmãos Clemens e August (daí C&A) abandonaram a sua casa de Mettingen, Alemanha, e abriram um armazém em Sneek, Holanda, em 1841.   
A primeira loja C&A que abriram em 1861 obteve um grandeêxito. Foi uma das primeiras em colocar peças de confecção à disposição da gente normal, a um preço aceitável. Lá para 1910, a C&A já tinha estabelecido uma vasta cadeia de lojas em toda a Holanda. A expansão para o estrangeiro foi o passo seguinte. Outros membros da família fundaram companhias C&A na Alemanha em 1911 e na Inglaterra em 1922. A segunda onda de expansão teve lugar muito mais tarde,num clima social e económico muito diferente. Foi iniciada em 1963, com uma cadeia de comércios na Bélgica. Em 1972, a C&A estabeleceu-se em França, na Suíça em 1977, no Brasil em 1976, no Luxemburgo em 1982 e em Espanha em 1983. Seguiu-se Áustria em 1984, Portugal em 1991, República da Irlanda em 1998 e República Checa em 1999, Polónia em 2001, Hungria, o último país da C&A, em 2002. 

C&A nomundo
A C&A está presente em 20 países e com mais de 1.000 lojas, trabalhando com vestuários femininos, masculinos e infantis, e com calçados em geral.

Desenvolvimento

A Administração de Vendas das Lojas C&A

Varejo – as lojas C&A é uma unidade de negócio varejista, porque ela repassa os produtos que vem do fabricante para o consumidor final. Logo, ela é classificadacomo loja de departamento

Tipos de Vendas Varejistas

Venda de Rotina – a C&A recebe essa classificação porque ela dispõe ao seu público produtos ligados ao vestuário pessoal.

Etapas do Processo de Vendas

Aproximação – os atendentes da empresa C&A se aproximam do cliente com a intenção de apenas oferece-lhes os cartões da loja. Infelizmente, não há uma abordagempara o oferecimento dos seus produtos e nem para obter informações sobre as necessidades e desejos dos seus clientes.

Por razões da C&A ter surgido da Europa, a sua cultura não requer a presença do vendedor nas lojas. A sua cultura organizacional, baseado nos costumes europeu e norte-americano, visa a necessidade que o cliente tem em sentir-se à vontade na hora da compra de seusprodutos. O atendente somente é requisitado no momento que o consumidor precisa esclarecer uma dúvida, mesmo assim, tem dificuldade de saber a quem deve se dirigir. Entretanto, mesmo com dificuldades, o público da C&A se adaptou com o perfil da loja (a C&A trabalha desta maneira no Brasil há 33 anos).

Apresentação – os produtos e serviços da C&A são apresentados nas vitrines, nosmostruários, nos manequins, nos cartazes e nas propagandas, ou seja, não há venda pessoal nas lojas C&A.

Objeções – o único obstáculo que existe na empresa refere-se a venda dos cartões da loja. Ou seja, o promotor de vendas encontra dificuldades no momento que o cliente demonstra desinteresse pelo cartão. Em relação aos artigos de vestuário pessoal, a objeção não existe, pois, a C&A não trabalhacom venda pessoal.

Fechamento – se a pessoa deseja adquirir um produto da loja, a própria se dirige a seção que armazena o produto, escolhe o tamanho e a cor desejada, experimenta no provador (no caso de roupas) e caso ela goste do produto, a mesma levará-lo ao caixa para realizar o devido pagamento. Ou seja, não há fechamento quando não existe um processo de venda. Neste caso, existeapenas um processo de compra.

C&A

Pontos Fortes

Permite ao cliente à liberdade de escolher o produto desejado sem ser abordado pelos vendedores. Numa boutique, por exemplo, os vendedores além de abordar, eles são, muitas vezes, inconvenientes, por não permitirem aos clientes circularem à vontade no interior da loja e pelo fato de utilizar pronomes de tratamento inadequados para...
tracking img