E-commerce

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 23 (5501 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A Logística de Distribuição em vendas virtuais – De Gargalo Eletrônico para Vantagem Competitiva

Resumo O presente trabalho aborda a principal preocupação de todas as organizações que trabalham com transações eletrônicas: a distribuição do produto físico vendido virtualmente. Por mais que os serviços de venda on-line estejam sendo ampliados e se tornando cada vez mais acessíveis ao consumidor,as dificuldades das empresas em cumprir prazos de entrega são cada vez maiores e mais evidentes. Sendo assim, emerge-se uma questão que está se tornando crucial para o sucesso do comércio eletrônico: o gerenciamento logístico da cadeia de abastecimento cujas suas operações envolvem tanto processos B2B (tais como, gestão de estoques, manutenção da informação de produção e compra de insumos) comoB2C (tais como, processamento do pedido, movimentações nos armazéns, gestão de transporte e entrega). Com este cenário delineado, o presente trabalho desenvolve um esboço da logística no comércio eletrônico e suas peculiaridades em relação à logística tradicional, descreve a estrutura de uma cadeia de abastecimento eletrônica genérica e simplificada e identifica as principais dificuldadeslogísticas encontradas no comércio eletrônico, principalmente no que diz respeito ao canal de distribuição. 1. Introdução Atualmente, o comércio mundial está passando por drástica transformação, em que o ambiente empresarial está se tornando mais competitivo, dinâmico e em constante mutação. Azevedo (2002) relata que os principais fatores que alavancaram tal ambiente são a globalização, a necessidade deintegração interna e externa das organizações e o acelerado desenvolvimento tecnológico da informação, principalmente no que diz respeito à Internet e aos meios de comunicação. Confirmando assim, a tendência da criação de mercados eletrônicos que exigem das organizações grande esforço de assimilação e domínio de novas tecnologias e significativa reestruturação de suas bases estratégicas ecompetitivas. 2. O Comércio Eletrônico no Brasil e no Mundo

Atualmente, o comércio eletrônico é visto como uma alternativa paralela de negociação significativamente promissora. O Instituto eMarketer (2000) constatou que os negócios eletrônicos movimentaram um volume de transações na ordem de US$ 100 bilhões no mundo em 1999 e estima que este valor poderá chegar a US$ 1,24 trilhões em 2003. Giurlani (1999)relata que a subsidiária brasileira da IDC (International Data

Corporation) realizou uma pesquisa indicando que a América Latina movimentará US$ 8 bilhões em 2003, correspondendo a 0,6% do total mundial e, no Brasil a estimativa desses valores poderá chegar a US$ 2,7 bilhões. Segundo a WBI Brasil (2003) a empresa e-consulting divulgou uma pesquisa apontando que o comércio eletrônicomovimentou US$ 5,1 bilhões no Brasil em 2002. Segundo o estudo, US$ 3,7 bilhões são provenientes do comércio eletrônico entre empresas (B2B), enquanto US$ 1,4 bilhão representa o total gerado pelas transações de varejo online (B2C). Do total de US$ 1,4 bilhão movimentado pelo varejo online no ano passado, US$ 1,1 bilhão corresponde à venda de automóveis via Internet enquanto os US$ 373 milhões restantesrepresentam o total gerado por transações de outros produtos e serviços, tais como: CDs e DVDs, livros e revistas, equipamentos eletrônicos, computadores e softwares, eletrodomésticos, perfumaria, vestuário, telefonia, brinquedos, alimentos e bedidas, entre outros. 3. A Ênfase da Logística no Comércio Eletrônico Com perspectivas significativamente otimistas em relação ao comércio eletrônico, noinício de 1999 houve uma verdadeira euforia no mercado mundial com o aparecimento de um número expressivo de empresas virtuais que foi baixando ao final do ano de 2000 devido ao surgimento de dois fatores preponderantes: a imprevisibilidade no planejamento de demanda e a complexibilidade das operações de entrega do produto. Segundo Wieniewicz & Mammana (2000), grande parte das empresas que...
tracking img