A vida de thomas more

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1449 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
THOMAS MORE
Vida, filosofia e obras de Thomas More - I

U THSão Thomas More, mártir, patrono dos advogados, Lorde Chanceler da Inglaterra, escritor e filósofo, nasceu em Londres, a 7 de fevereiro de 1477, - o ano seguinte ao da impressão do primeiro livro na Inglaterra, - e morreu decapitado em Tower Hill, a 6 de julho de 1535 por recusar o anglicanismo. Foi reconhecido no início do século XVIcomo o maior jurista, humanista cristão e intelectual clássico de seu tempo.
Infância e juventude. Thomas foi o único filho sobrevivente de Sir John More, e de sua primeira mulher Agnes, filha de Thomas Graunger. Seu pai, um próspero e influente advogado nos tribunais, elevado a Cavaleiro e Juiz da bancada do Rei, era um homem ativo e espirituoso; casou quatro vezes, a última vez às vésperas decompletar 70 anos.
More nasceu em Milk Street, uma área residencial próspera do movimentado bairro comercial da cidade, onde seu pai viveu a maior parte de sua vida, não se conhecendo mais a exata localização da casa.
Seus primeiros estudos, entre os 7 e 12 anos, foram na St. Anthony's School, em Threadneedle Street, que estava entre as melhores escolas primárias de Londres. O Diretor da escolaimpressionou-se com o desempenho escolar e a liderança de Thomas More entre os colegas e quis projetá-lo socialmente. Valendo-se de sua amizade com John Morton, Arcebispo de Canterbury e Lorde Chanceler da Inglaterra e com a aprovação e a ajuda do influente pai do jovem, conseguiu que o Arcebispo admitisse Thomas entre seus criados. Dos 12 aos 14 anos, como um pajem no palácio do Arcebispo, Moreconheceu as mais altas personalidades do reino e aprendeu lições incomparáveis de política e trato social.
Reconhecendo a inteligência e o bom caráter de seu jovem criado, o Chanceler disse certa vez aos seus convivas: "Esta criança aqui, que serve a mesa, será um grande homem, quem viver verá". Por volta de 1491 enviou-o a estudar em Oxford, onde More se alojou no Canterbury Hall (posteriormenteabsorvido pelo Christ Church).
Nessa universidade More esteve por dois anos, de 1491 a 1493, entre os 14 aos 16 anos de idade. Seu pai lhe dava uma mesada suficiente só para sua manutenção e, sem poder gastar com diversões, aplicava-se exclusivamente ao estudo, dominando o Latim e estudando exaustivamente Lógica. Em Oxford fez inúmeros amigos os quais elogiavam seu domínio do grego e suaeloqüência tanto em latim como em inglês. Além dos clássicos ele estudou francês, história e matemática, e aprendeu a tocar flauta e viola.
Oxford estava dividida pela nova disputa que nascera no Renascimento italiano: o valor da língua e dos escritos da Grécia antiga. O novo interesse pela língua grega foi trazido para Oxford por professores de formação italiana. More ficou do lado dos que desejavamaprender o grego, cujo professor era o erudito William Grocyn, que de volta da Itália alguns anos antes, começara a ensinar grego em Oxford, e de Thomas Linacre, que, assim como Grocyn, havia estudado na Itália. Do mesmo lado estava outro ilustre aluno de Grocyn, o jovem John Colet que mais tarde seria o confessor e guia espiritual de More. Inspirados no Humanismo, esses homens se colocavamapaixonadamente contra o reacionarismo medieval. Ficaram conhecidos como "Os Reformadores de Oxford". Sem nenhuma dissensão com Roma, eles no entanto desejavam uma aplicação prática dos princípios cristãos, e este foi o credo que inspirou Thomas More a escrever o seu Utopia, sua obra prima.
Ao fim de dois anos, alarmado com o rumo que tomava a educação do filho, e desejando que este fizesse estudos deresultados práticos, Sir John More fez com que interrompesse seus estudos em Oxford e o trouxe de volta a Londres para o estudo do Direito.
Em 1494, agora sob os olhos atentos do pai, More começou obedientemente sua iniciação nos mistérios de decretos e processos penais.
O ensino das Leis canônicas e das Leis civis era próprio das grandes universidades, mas as escolas de Corte de justiça, as...
tracking img