A moeda e o credito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 41 (10247 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
I. INTRODUÇÃO

A moeda e o crédito constituem importantes variáveis para a determinação do crescimento económico de qualquer estado.

Os agentes económicos necessitam de moeda para realizarem as suas operações e, por conseguinte, podem recorrer ao crédito para satisfazerem a sua demanda.

O nosso trabalho tem como titulo a moeda e o crédito ele está dividido em trêssubtítulos tendo estes também os seus subtemas. Na primeira parte procuramos definir a moeda detalhando o seu teor desde os tempos remotos até os dias de hoje; No segundo título do nosso trabalho falamos especificamente do Crédito onde mostramos sobre tudo a vulnerabilidade que se pode assumir ou não face ao crédito e o seu preço fazendo menção a taxa de juro; E na ultima parte nos referimossobre o processo de criação da moeda onde mostramos as suas varias formas possíveis de cria-la.

1. A MOEDA

1.1 - NOÇÃO DA MOEDA

A moeda faz de tal forma parte da nossa vida quotidiana que muitos de nós nunca se questionaram sobre o que ela é, como evoluiu, quais as funções e valor que desempenha.

Desde tempos muito recuados que o homem utiliza a moeda como umintermediário nas trocas. No século III a.C., os romanos cunhavam moeda, no templo da deusa Juno Moneta, que tinha a função de "monere", ou seja, anunciar os acontecimentos futuros. Daí deriva a palavra moeda, do latim "monere".

Mas a intervenção da moeda é muito anterior aos romanos, existindo registos que indicam vários povos que utilizavam os mais variados bens como moeda. Colares,braceletes, conchas, pedras de adorno e peles foram utilizadas como moeda. Na China utilizava-se o chá, em África o marfim, na Pérsia as tâmaras. Na Índia utilizava-se o gado (rupa) como moeda, derivando daí a actual designação da moeda indiana, rupia. Só mais tarde é que o homem introduziu os metais como moeda, sendo estas duas formas utilizadas, em muitos locais, em simultâneo.

Defacto, qualquer dos bens, gado, marfim, chá ou metal, pode ser considerado como moeda, pois funcionava como intermediário na troca, sendo aceite por todos os membros de uma comunidade, que a utiliza para efectuar as suas trocas, sendo também em moeda que se expressa o valor de todos os bens.

Assim podemos aferir que moeda é tudo o que serve como meio de troca com aceitação generalizada.Ou seja, a Moeda pode ser definida como todo o activo que constitua uma forma imediata de solver débitos com a estabilidade geral e disponibilidade imediata de solver débitos com aceitabilidade geral e disponibilidade imediata, cuja posse confere ao seu titular um direito de saque sobre o produto social. Desta definição retiramos elementos como: «forma imediata, disponibilidade imediata,estabilidade e aceitabilidade geral» o homem sempre procurou na moeda estes elementos e outros e que abaixo mostramos a sua evolução até encontrar a forma de moeda que é mais usada(o da troca indirecta).

1.2 EVOLUÇÃO DA MOEDA

No alvorecer dos tempos, os primeiros agrupamentos humanos não utilizavam qualquer forma de moeda. Esses grupos sobreviveram de uma forma simples deactividade económica. Realizavam trocas directas em espécie denominadas escambo. Segundo Rossetti (1998), suas actividades se baseavam na exploração da natureza, através da caça, pesca, colecta de frutos selvagens, utilização de cavernas e peles de animais. Em um estágio mais avançado de cultura económica, as trocas começaram a se realizar dentro do próprio grupo ou com outros grupos que passavam a mantercontactos. Neste ambiente, os indivíduos dispunham de excedentes de determinados produtos desejados por outros indivíduos, cujos excedentes não eram coincidentes. O que era coincidente era a necessidade e o desejo de trocas directas. O indivíduo (ou grupo) A dispunha de excedentes desejados por B; e o indivíduo (ou grupo) B dispunha dos excedentes desejados por A. Assim, a troca se realizava...
tracking img