A deliquencia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2569 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A delinquência juvenil Causas e consequências |

“A primeira grande causa da delinquência é a má governação! O primeiro grande antibiótico é a alternância do poder na governação”.Luisete Macedo AraújoNós estamos todos de acordo que queremos, aliás devemos fazer de Angola um grande país. Mas, para que Angola se torne verdadeiramente num grande país, 1° temos que construir um grande povo.Entretanto, para termos um grande povo, é fundamental e indispensável 1° investir no homem angolano, temos de edificar um cidadão no verdadeiro sentido da palavra, que usufrua de todos os direitos que não se pode privar à um cidadão do século XXI.Angola precisa mais do que tudo de se fazer construir milhões de cidadãos que sejam úteis para a vida do país, que sejam amados e não indesejáveis ourejeitados, que sejam a primeira escolha nos projectos de construção e não desprezados como acontece com o grande grupo de jovens muitos deles lançados para o mundo da delinquência e da droga que em Angola, sem exagero, se transformam em classe social de marginais.Pois, para que um país seja realmente respeitado, é preciso que tenha suas sociedades estabilizadas. E, a estabilidade de uma sociedade demuito depende da personalidade de seus cidadãos, da consciência de seus residentes e não unicamente das suas riquezas. E a consciência dos residentes de uma localidade, de uma vila, de um país, depende essencialmente dos projectos definidos pelo Estado e da direcção que for indicada pelo governo que aplica as políticas do Estado para a construção da nação.Não, nós nunca ignoramos os esforços que têmsido empreendidos pelo governo. Mas, em linhas gerais, quero dizer que, o bom ou mau cidadão, o bom ou mau jovem, de muito depende do bom ou mau desempenho do governo. O mau desempenho do governo, fomenta as desigualdades nas vias e nos meios para os cidadãos conquistarem as ferramentas e o conhecimento para eles próprios adquirirem o essencial que lhes permita viver bem. Á isto chamamos osdesequilíbrios sociais e económicos. Logo, se hoje em Angola a delinquência faz lei, é essencialmente porque o governo está a trabalhar mal. Pois, o ambiente que se vive numa sociedade é sempre fruto da boa ou má actividade do governo.Quando falamos de um lado de uns poucos ricos e do outro de milhares de angolanos pobres ou miseráveis; quando falamos de milhares de angolanos que não sabem onde dormir ede uns poucos que têm cinco ou seis casas e vivem em grandes palácios; quando falamos de gente que tem cinco ou dez carros e outros milhares de irmãos também angolanos que têm que andar a pé debaixo do Sol, na chuva ou na poeira ou lutar para conseguir o Candongueiro; quando falamos das mulheres que perdem os filhos durante os partos violentos ou por falta de lugares nas maternidades; quandofalamos das milhares de crianças que morrem por falta de tratamento médico, porque são rejeitadas nos hospitais e porque seus pais não têm dinheiro nem para comprar o paracetamol que combate a febre; quando falamos daqueles que com armas na mão defenderam o país, deram tudo de si e até hoje ou não têm as suas pensões ou recebem uma ninharia do que deviam; quando falamos dos casais que se divorciam oudos homicídios e suicídios que se multiplicam só porque um dos parceiros não tem dinheiro para matar a fome ou dar a criança aquilo que ela precisa, ao mesmo tempo que uns poucos deitam fora milhões de dólares no estrangeiro; quando falamos das crianças que ficam sem estudar por falta de escolas, ou sem o ingresso à universidade por caprichos de uns poucos, enfim… tudo isso não restam duvidas, éprova mais do que evidente que o governo não quer o bem do seu povo. E somos forçados a aceitar que é aqui onde inicia a fonte da delinqüênciaPorque a delinqüência é também falta de amor, amor de si próprio, amor ao próximo. O facto de não se sentir amado, o facto de não amar a sua própria vida; o facto de se sentir inútil e impotente na satisfação dos seus desejos, empurra a pessoa a odiar-se...
tracking img