A atividade agricola e industrial no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1890 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
maycon 10:30


introdução

Há tempos, as indústrias vêm conquistando o seu espaço no Brasil, tornando-se um dos

elementos mais básicos de uma determinada região .Trazendo consigo, sempre uma

característica marcante, a MUDANÇA, seja ela qual for, tanto na cultura como na

economia ou até mesmo no espaço que ela ocupa e no impacto que ela causará em seu

ambiente.
A agriculturano Brasil é, historicamente, umas das principais bases da economia do

país, desde os primórdios da colonização até o século XXI, evoluindo das extensas

monoculturas para a diversificação da produção.

A atividade agrícola no Brasil

A atividade agrícola sempre desempenhou papel de suma impor-tância na economia

brasileira e, ainda hoje, destaca-se a participa-ção desse setor deatividade na

produção econômica nacional.Pode-se dizer que, em termos reais, a agricultura é uma

dasbases mais importantes da economia brasileira, pois oferecetrabalho para

aproximadamente 1/3 dos trabalhadores brasilei-ros, produz 10% do PIB, matérias-

primas para a crescente in-dústria nacional, alimentos; e, ainda, seus produtos

representamparcela significativa das exportações.Outro aspecto importante da atividade agrícola no Brasil,observado nas últimas

décadas,é a acelerada moderniza-ção da agricultura, representada, essencialmente,

pelo em-prego maciço de maquinaria no processo produtivo e pelautilização, cadavez

mais difundida,de insumos quími-cos. A articulaçãocrescente da agri-cultura com o

setorindustrial dominan-te da economia,evidenciadanascaracterísticas doprocesso

produtivoou na subordinação freqüente às indústrias de processamento da produção,

configurando aexistência de um Complexo Agroindustrial (CAI), redefiniu ocontexto

produtivo na agricultura e acentuou as diferenciaçõesexistentes entre áreas do país,

produtores e segmentos produtivos da economia agrária.Paralelamenteà mudança

tecnológica, registrou-seumaacentuada incorporação de novos espaços de fronteira

agrícola fenômeno iniciado na década de 1970, com a participa-ção de empresários do

Sul e do Sudeste na implantação deempreendimentos agropecuários voltados para a

reproduçãodo capital, valendo-se da agricultura como forma alternativade

investimento.Deve-se lembrar, ainda, que a agricultura brasileira não

temrepresentado umpapel mais relevante devido aos inúmeros pro-blemas que a afetam,

tais como:
?
Utilização de técnicas de cultivo ultrapassadas e danosas aosolo (queimadas

desenfreadas, plantações em declives – queacentua a erosão– etc.).
?
Baixo poder aquisitivo do agricultor.
?
Criação de imensas pastagens – que concentram a pro-priedade de terra e, também,

aceleram o processo de erosãodo solo.?
Sub-aproveitamento do espaço agrícola– dos 8,5 milhões dequilômetros do país, apenas

3 milhões são utilizados porestabelecimentos rurais.
?
Conflitos sociais: o processo de formação da propriedade deterra no Brasil foi

marcado pela violência, pela imprecisãodos limites dos lotes e, conseqüentemente,

pela falta de ga-rantias legais para o direito de propriedade, dando margensàutilização da força como solução


A agropecuária


A agropecuária emprega cerca de 24% da população ativa nacional e participa com

menos de 10% na formação do produto interno bruto (PIB) do país. Desde a década de

30, sua importância no interior da economia brasileira vem decaindo constantemente.
No pós-guerra, os dois saltos industriais registrados no governo de JuscelinoKubitschek (1956-1961) e nos anos do chamado "milagre brasileiro" (1968-1973)

transformaram definitivamente a economia, consagrando a supremacia do setor urbano-

industrial sobre o setor agrícola.
A urbanização e a industrialização do país não apenas reduziram a importância do

setor agrícola. Esse processo de modernização subordinou a agropecuária às

necessidades do capital...
tracking img