Zinco

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1615 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Carlos Augusto Ramos Neves-DNPM/BSB, e-mail: carlos.neves@dnpm.gov.br,Tel.: (61) 3312-6889, Fax: (61) 3312-6891




I - OFERTA MUNDIAL -2006



A elevação de preços do zinco apresentou aceleração continuada no decorrer de 2006, seja porque a capacidade de expansão da oferta de refino permaneceu limitada pela insuficiência de minérios, seja por uma procura maior devido ao crescimentoeconômico global, em especial da pressão de demanda advinda da China, em processo de rápida industrialização. O estoque reduzido foi outro ingrediente no aumento de preços. O preço médio anual da tonelada de zinco passou de US$ 1.381,76 em 2005, para US$ 3.273,55 em 2006, representando alta de 136,9%. Em dezembro de 2006, a cotação média do zinco ficou em US$ 4.403,63 atingindo o seu maiorpatamar.
As reservas mundiais de zinco são estimadas em 460 milhões de toneladas de metal contido. China, Estados Unidos, Austrália, Cazaquistão e Canadá respondem por mais de 70% do total. As reservas brasileiras estão concentradas geograficamente no Estado de Minas Gerais, principalmente nos municípios de Vazante e Paracatu. São 6.400 mil toneladas, correspondendo apenas 1,4% do volume mundial.A produção mundial de concentrado de zinco, em termos de metal contido, atingiu 10 milhões de toneladas em 2006, volume 2,0% superior a 2005. Os cinco maiores produtores (China, Austrália, Peru, Canadá e Estados Unidos) respondem por 65,5% da produção mundial.
Segundo International Lead and Zinc Study Group (ILZSG), pelo terceiro ano consecutivo o consumo de zinco refinado superou aoferta. A produção aumentou 4,6%, passando de 10.229 mil toneladas em 2005 para 10.704 mil toneladas em 2006. Na mesma base de comparação, o consumo subiu de 10.639 mil toneladas para 11.034 mil toneladas, atingindo expansão de 3,7%.



Reserva e Produção Mundial

|Discriminação |Reservas (1) (103t) |Produção (103t)|
|Países |2006 (e) |% |2005 |2006 (e) |% |
|Brasil |6.400 |1,4 |171 |185 |1,8 |
|Austrália |80.000|17,4 |1.330 |1.400 |14,0 |
|Canadá |31.000 |6,8 |755 |725 |7,2 |
|Cazaquistão |35.000 |7,6 |400 |450 |4,5|
|China |92.000 |20,0 |2.450 |2.500 |25,0 |
|Estados Unidos |90.000 |19,6 |748 |725 |7,2 |
|México |25.000|5,4 |470 |450 |4,5 |
|Peru |20.000 |4,3 |1.200 |1.210 |12,1 |
|Outros Países |80.600 |17,5 |2.276 |2.355 |23,7|
|Total |460.000 |100,0 |9.800 |10.000 |100,0 |


Fontes: DIDEM/DNPM e Mineral Commodity Summaries – 2007.
Notas: Dados em metal contido.
1) Reservas base. Brasil: Reservas medidas e indicadas.
(e) Dados estimados.


II - PRODUÇÃO INTERNA


Os indicadores...
tracking img