Tontura e vertigem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5368 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Tontura e Vertigem

Última Revisão: 05/10/2008
AUTORES
Norberto Anízio Frota
Neurologista pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP
Pós-graduando (doutorado) em Neurologia pela Faculdade de Medicina da USP
Especialista em Neurologia Cognitiva e do Comportamento pela Faculdade de Medicina da USP
Fernanda Martins Maia
Neurologista pelo Hospital das Clínicas da Faculdade deMedicina da Universidade de São Paulo
Pós-graduanda (doutorado) em Neurologia pela Faculdade de Medicina da USP
INTRODUÇÃO E DEFINIÇÕES
Tontura é uma das principais razões de consulta médica, seja ambulatorial ou em unidades de emergência. Trata-se de uma queixa inespecífica, pois o paciente utiliza esta queixa para se referir a sintomas muito diversos. Desta forma, quando um pacienteapresenta-se ao médico referindo tontura, este deve ser capaz de diferenciar os sintomas e tentar caracterizá-los em um dos grupos a seguir, o que será fundamental para elaborar o diagnóstico diferencial.

• Lipotímia ou pré-síncope: o mecanismo da pré-sincope é a diminuição do fluxo cerebral. O paciente costuma referir mal-estar de difícil caracterização, evoluindo com escurecimento visual,sensação de fraqueza, sudorese e palidez. Se houver redução mais intensa no fluxo cerebral pode haver síncope, com perda súbita e breve da consciência. Causas comuns de pré-síncope e síncope são:
 hipotensão postural por desidratação, sangramento, diuréticos e anti-hipertensivos;
 causas cardíacas como doenças valvares (por exemplo, estenose aórtica) e arritmias cardíacas;
 reflexovasovagal, comumente precipitado por dor, algumas situações específicas (por exemplo, punção venosa, sangue) ou quando o paciente fica em pé sem se movimentar por tempo prolongado(por exemplo, fila de banco).

• Vertigem: sensação de movimento quando este não está ocorrendo. Esta pode ser dividida em dois tipos:
 rotatória: sensação de movimento giratório do meio em relação ao indivíduo oudeste em relação ao meio;
 oscilatória: sensação de desequilíbrio, dificuldade para ficar em pé, com movimentos multidirecionais, como se estivesse em um barco no oceano.
As causas mais comuns de vertigem dividem-se entre as causas periféricas, em que há acometimento do sistema vestibular periférico, e as causas centrais, com acometimento neurológico.

• Desequilíbrio: muitasvezes, o paciente relata tontura para se referir a uma sensação de desequilíbrio e dificuldade de ficar em pé, sem vertigem ou pré-sincope associada. Causa comum de desequilíbrio são múltiplos déficits sensoriais (por exemplo, perda de audição, visão e diminuição da propriocepção) em pacientes idosos. Outras causas são doença de Parkinson e acidente vascular cerebral acometendo territóriovértebro-basilar, principalmente o cerebelo.

• Tontura inespecífica: muitas vezes é difícil caracterizar os sintomas do paciente em alguma das síndromes citadas acima. Ao ser questionado, o paciente não sabe definir o que sente, ou refere sintomas como “sensação de cabeça vazia”, “mal-estar dentro da cabeça”, que não apontam para um diagnóstico. Freqüentemente, esse tipo de tontura está associado aquadros psiquiátricos como depressão e ansiedade, que devem ser pesquisados ativamente nesses casos.

Neste capítulo teremos com principal enfoque a vertigem, sem se esquecer das demais quando ocorrer sobreposições de queixas.

ETIOLOGIA E FISIOPATOLOGIA

Etiologia
Diversas doenças podem levar a queixas de vertigem, sendo as causas mais comuns a vertigem posicional paroxística benigna(VPPB), a vertigem fóbica, a neurite vestibular e a doença de Ménière. Na tabela 1, são descritas as principais etiologias das vertigens, que podem ser divididas em causas periféricas, centrais ou de origem sistêmica.

Tabela 1: Principais etiologias das vertigens
Periféricas • VPPB
• Neurite vestibular
• Vertigem pós-trauma
• Doença de Ménière
•...
tracking img