Tese

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 30 (7315 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CAPITULO-I





1-INTRODUÇAO

1.1 – Introdução

A pesca é uma das actividades económicas mais antigas de Moçambique, praticada desde o tempo colonial; portanto, nesta época era maioritariamente artesanal com finalidade de satisfazer as necessidades locais. A partir dos anos 60, desenvolve-se a pesca industrial e semi-industrial, mais viradas para o mercado externo.

A pesca industriale semi-industrial praticadas em Moçambique, são unicamente de camarão de águas pouco profundas. De acordo com Cristo e Mascarenha (1986), na costa moçambicana foram identificadas várias espécies de camarão, sendo Penaeus indicus e Metapenaeus monoceros as mais abundantes. Este estudo numa primeira fase foi descrito em volta à baia de Maputo e mais tarde extensivo a região do Banco de SofalaA região do Banco de Sofala estende-se desde Angoche até Nova Mambone; é nesta zona onde desaguam os grandes e importantes rios do territorio moçambicano, incluindo o Zambeze. Segundo de Sousa (1989), esta região é muito rica na pescaria de camarão onde as maiores concentrações encontram-se entre Angoche e Machesse e entre Beira e Chiloane. O camarão nesta zona distribui-se até os 70 metros deprofundidade, encontrando-se as maiores concentrações a profundidades entre os 5 e 25 metros.



Conforme de Sousa (1989) as duas espécies mais capturadas (Penaeus indicus e Metapenaeus monoceros), correspondem a 90% das capturas totais; onde os Penaeus indicus (camarão branco) aparecem em 48% e Metapenaeus monoceros (camarão castanho ou rosa) aparecem em 42% das capturas. Sendo os restantes 10%pertencentes as espécies Penaeus monodon, Penaeus japonicus e Penaeus latisulcatus.




A pescaria de camarão de águas pouco profundas em toda região do Banco de Sofala, é estimada em cerca de 8600 toneladas por ano, contribuindo com cerca de 80 milhões de dólares para o estado; na década de 90 representou cerca de 40% das exportações do país (de Sousa et al, 2005). É neste âmbito que surge anecessidade de se conhecer na sua plenitude os factores que condicionam a abundância deste recurso, pois contribui significativamente para a economia do país, não só como também para a subsistência das populações costeiras.


Entretanto, alguns factores que condicionam abundância de camarão nesta zona são os factores ambientais como a salinidade, a precipitação, o escoamento dos rios,correntes de marés. Porém, o conhecimento científico da relação existente entre estes factores e a abundância do camarão contribuirá significativamente para a adopção de práticas sustentáveis de gestão, interpretação e a sua distribuição ao longo do ano.



Todavia, há estudos que mostram que as capturas de camarão no Banco de Sofala estão a diminuir desde os finais dos anos 70. De acordo com Hoguane(1997), os factores ambientais (como a redução do escoamento do rio Zambeze), o impacto da pesca artesanal e aumento do esforço de pesca, são apontados como razões para essa diminuição. Também Gammelsrød (1989) que citou de Sousa (1987), concluiu que a distribuição da água doce no Banco de Sofala coincide com as regiões das melhores capturas de camarão.

Contudo, este trabalho tem como objectivocentral, determinar a influência da precipitação e escoamento do rio Zambeze na abundância de camarão na região do Banco de Sofala.







1.2 – Objectivos

Geral

Determinar a influência da precipitação e escoamento do rio Zambeze na abundância de camarão na região do Banco de Sofala.




Específicos

• Descrever as variações/séries temporais da precipitação, escoamento dorio Zambeze e da abundância de camarão;

• Estabelecer uma relação da abundância de camarão com a precipitação e com o escoamento do rio Zambeze;

• Desenvolver um modelo numérico que descreve estas relações;

• Determinar a variação do coeficiente de correlação em períodos de dez anos evolutivos;





1.3 – Hipóteses

H1 – O escoamento do rio Zambeze e a abundância de...
tracking img