Terra papagalli

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1719 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de agosto de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Resenha: Terra Papagalli

Referência bibliográfica:

TORERO, José Roberto & PIMENTA, Marcus Aurelius. Terra Papagalli: narração para preguiçosos leitores da luxuriosa, irada, soberba, invejável, cobiça e gulosa história do primeiro rei do Brasil. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000, 192 p., 14 x 21.

Credenciais dos autores:

José Roberto Torero nasceu em Santos, cidade litorânea de SãoPaulo, no ano de 1963. Formou-se em Letras e Jornalismo pela Universidade de São Paulo (USP), e iniciou o curso de pós-graduação em Cinema e Roteiro, porém, sem concluí-lo. Como cronista, o autor já escreveu para o Jornal da Tarde, de São Paulo e, de 1998 a 2010, foi colunista do caderno de Esportes da Folha de S.Paulo, onde também atuou como redator e repórter. Além da literatura e do jornalismo, épossível encontrar trabalhos de Torero no cinema como roteirista e diretor. Atualmente, o autor mantém dois blogs, um intitulado Blog do Torero, em que escreve sobre futebol, e outro direcionado às crianças, o Blog do Lelê, sobrinho fictício do autor. Entre seus diversos trabalhos é possível citar os livros O evangelho de Barrabás, Santos, um time dos céus e os roteiros de Pequeno dicionárioamoroso e Memórias póstumas.
Marcus Aurelius Pimenta nasceu na cidade de São Paulo em 1962. Formou-se em jornalismo pela Universidade Metodista, onde foi professor de historia da imprensa, mas atualmente trabalha como roteirista e escritor. Em parceria com José Roberto Torero, escreveu, além de Terra Papagalli, os livros Futebol é bom pra cachorro e Os vermes; as peças Omelete e Romeu e Julieta:segunda parte; e o roteiro do quadro Retrato Falado exibido no Fantástico, com Denise Fraga.

Resumo da obra

O livro Terra Papagalli: narração para preguiçosos leitores da luxuriosa, irada, soberba, invejável, cobiçada e gulosa historia do primeiro rei do Brasil é uma obra contemporânea e apresenta ao leitor a narração do “descobrimento” e da colonização do Brasil sob a ótica de um degredado,Cosme Fernandes, que na fatídica historia da “surpreendente descoberta”, perpetuada através das gerações, não passa de um personagem que pouco se sabe sobre sua participação na aventura comandada por Cabral e sobre sua vida.
Cosme Fernandes inicia a narrativa falando de sua mocidade em Lisboa e de seu grande amor, Lianor, com quem, de acordo com suas próprias palavras, aprendeu “as primeirasletras da mais antiga das línguas”, e a quem jurou amor eterno. Após esses episódios que iniciam a obra, Cosme Fernandes tendo sido preso por ter desonrado Lianor, tem como castigo seu nome entre aqueles que acompanharão Pedro Álvares Cabral, um comandante, até então, sem experiência. Dentro do navio que segue viagem rumo às novas terras, Cosme Fernandes (neste momento já apelidado por seuscompanheiros de Bacharel) relata o dia a dia da vida em alto mar, inclusive, as insalubridades presentes nas embarcações. Após passar por esses percalços, a tripulação comanda por Cabral finalmente avista a terra que lhes darão abrigo e a oportunidade de viver inúmeras emoções, como o encontro com os índios aqui existentes, a quem Cosme se refere como “seres estranhos”. Após o primeiro contato com o povoindígena, Bacharel narra como foi a primeira missa realizada em terras tupiniquins, como eram as prisões indígenas, e até as batalhas com tribos vizinhas. Conforme a vivência em terras brasileiras, até então chamadas de Vera Cruz, Bacharel lista os dez mandamentos para se viver bem na terra dos papagaios, revelando a identidade do nosso povo.
A obra é narrada em primeira pessoa e tem a estruturade uma carta, a carta que Cosme Fernandes escreve para enviar à Conde de Ourique, com os detalhes da viagem contados em um diário de navegação. Quanto à linguagem do livro, caracteriza-se por ser deliciosamente irônica, bem humorada e de fácil entendimento, além disso, a obra é carregada de crítica quanto ao fato histórico revisitado (a descoberta, a colonização e o dia a dia dos índios aqui...
tracking img