Tecnologia digital

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 21 (5180 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
TECNOLOGIA DIGITAL E DESIGN GRÁFICO

Gruszynski, Ana Claudia
Universidade Federal de Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Brasil*










Resumo
A técnica e seu uso social é o ponto-de-partida para uma reflexão sobre as questões relacionadas à apropriação da tecnologia digital. Em um primeiro momento, trata-se dos aspectos mais amplos que envolvem otema, para, a seguir, relacioná-los com a comunicação e a prática do design gráfico.




Apresentação
Tratar do tema comunicação e novas tecnologias é posicionar-se diante de uma infinidade de informações que chegam aos nossos sentidos de forma contínua e, na maioria das vezes, desordenada. Como pesquisadores, estamos sempre em um movimento reflexivo, na tentativa de elaboraruma nova compreensão sobre um fenômeno ou objeto, observando com atenção e crítica aspectos da realidade em que estamos inseridos. Como homens comuns, estamos envolvidos pela rede dos meios de comunicação, que continuamente nos apresentam versões e recortes de acontecimentos, conduzem nosso olhar, e colocam na agenda do dia os assuntos sobre os quais vamos refletir.
Assim, este ensaio nascede um esforço em que o olhar do pesquisador quer sobrepor-se àquele do homem comum. Nele procurei detectar e organizar alguns pontos que compõem de forma dinâmica o caleidoscópio tecnológico no campo da comunicação e sobre eles refletir. Na primeira parte do trabalho apresento uma visão mais geral do assunto, para, a partir do que foi levantado, pensar a respeito da técnica associada ao designgráfico. Por fim, tomo a revista Porto&Vírgula, uma publicação local editada pela Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre, para exemplificar algumas questões pertinentes ao tema.


Técnica e uso social
Pensar sobre tecnologia é o desafio de observar e refletir sobre o cotidiano. Objetos e meios que para o homem do nosso século tornam-se recursos cada vez mais triviais,utilizados de forma automática e inconsciente, já representaram grandes feitos para gerações não muito distantes da nossa.
Vejamos, por exemplo, o rádio. Inicialmente, havia apenas a vitrola enquanto aparelho mecânico para reprodução de sons. Eram sons gravados. Depois vieram as galenas que experimentalmente serviam para captar sons enviados ao vivo. A seguir surgiram os grandes rádios àválvula, em torno dos quais reuniam-se as famílias para escutar músicas, notícias, um jogo de futebol, uma novela ou simplesmente histórias.
Nas décadas de 30-40, essa forma tecnológica entrava dentro das casas mais abastadas, trazendo consigo não apenas um novo hábito, como também uma nova forma de pensar o mundo. É curioso lembrar o filme de Woody Allen, A era do rádio, onde há uma certanostalgia ao resgatar a época em que os galãs de rádio-novela dominavam com suas vozes a imaginação das pessoas. Hoje os galãs são outros, bem como o imaginário social. Os rádios são portáteis, pequenos e baratos, e podem ser encontrados nos lugares mais comuns.
O desenvolvimento e o acesso à tecnologia estão conectados a dois aspectos fundamentais: a técnica – o instrumento – e o usosocial – condicionando o conteúdo. Anatol Rosenfeld propõe uma definição de técnica como “o uso do existente para, por meio dele, transformar o existente e adaptá-lo aos seus desejos, necessidades e fins do ser que se serve dela.” (Rosenfeld 1993:133). Aponta que esta conceituação vincula-se a peculiaridades negativas e positivas do homem em relação aos outros animais. O fato de o homem possuir umadeficiência orgânica, órgãos limitados e dificuldade de adaptação ao ambiente natural vai levá-lo ao uso de instrumentos, na busca de suprir esta carência e ampliar o alcance de seus órgãos. Por outro lado, é justamente através desta sua deficiência que ele vai chegar à eficiência. São como dois lados de uma mesma moeda.
Partindo da análise do estímulo/resposta, este autor afirma que...
tracking img