Saude mental e psicologia mental

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 27 (6681 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Índice


Pagina

• Capa 1

• Índice 2

• Introdução 3

• 1º titulo (saúde mental e psicologia notrabalho) 4

• 2º titulo (Psicologia social) 14

• Conclusão 19

• Imagens 20

• Fonte de pesquisa22









Introdução

Este trabalho tem como objetivo de divulgar informações sobre Saúde Mental e psicologia social, buscando através de pesquisas na internet conceito, historia e como entender sem pré-conceitos uma realidade pouco divulgada.






















Saúde mental e psicologia do trabalho

Um dos objetivos mais recentesda saúde mental não se restringe apenas à cura das doenças ou a sua prevenção, mas envidar esforços para a implementação de recursos que tenham como resultados melhores condições de saúde para a população.
Na visão de Bleger (1984), não interessa apenas a ausência de doenças, mas o desenvolvimento integral das pessoas e da comunidade. A ênfase, então, na saúde mental, desloca-se da doença àsaúde e à observação de como os seres humanos vivem em seu cotidiano.
Para Dejours (1994), a psicopatologia tradicional está alicerçada no modelo clássico da fisiopatologia das doenças que afetam o corpo. Dedica-se, exclusivamente, ao diagnóstico das doenças mentais, dos transtornos mentais orgânicos, da esquizofrenia, dos transtornos do humor e dos inúmeros transtornos de personalidade. O debate,porém, que este artigo pretende explorar abrange as condições de milhares de pessoas sem imunidade que, embora suportem as pressões, conseguem, de alguma forma, escapar de um transtorno psicótico severo, mas que se mantêm, por assim dizer, no campo da normalidade.
Não é raro encontrar pessoas que, por uma condição de sua psicodinâmica interna, possuem a propensão a trabalhar em excesso e adivertir-se muito pouco; outras, pelo contrário, passam os dias a divertirem-se; outras ainda não conseguem fazer nem uma coisa nem outra. Sabe-se hoje que tanto o trabalho, quanto a diversão em proporções satisfatórias são critérios para avaliar um funcionamento psíquico saudável.
Na realidade, ao contrário do que muitos possam supor, a organização do trabalho não cria doenças mentaisespecíficas. Os surtos psicóticos e a formação das neuroses dependem da estrutura da personalidade que a pessoa desenvolve desde o início da sua vida, chegando a certa configuração relativamente estável, após o período de ebulição da adolescência quando as condições sociais são relativamente favoráveis, antes mesmo de a pessoa entrar no processo produtivo. No entanto, "o defeito crônico de uma vida mentalsem saída mantido pela organização do trabalho, tem provavelmente um efeito que favorece as descompensações psiconeuróticas" (Dejours, 1992:122).
Atualmente, observa-se uma pressão constante contra a grande massa de trabalhadores existente em quase todo o mundo. Uma ameaça com objetivo certeiro faz com que milhares de pessoas sintam-se sobressaltadas, pois a única ferramenta de que dispõem suaforça de trabalho, pode ser dispensada a qualquer momento.
O desprezo assola o universo do trabalho e traz conseqüências drásticas para todos os que têm em seu trabalho sua única forma de sobrevivência.
Contudo, a força de trabalho exigida precisa de especial qualificação, mesmo que seja, como antigamente, para apertar um simples botão. Assim, para a maior parte das atividades, exige-se um...
tracking img