Romantismo no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3331 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
GABARITO

Caderno do Aluno

Sociologia – 2a série – Volume 1

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1
A POPULAÇÃO BRASILEIRA: DIVERSIDADE NACIONAL E
REGIONAL

Páginas 3 - 6

Nestas três primeiras questões, espera-se que os alunos tomem consciência da
diversidade brasileira e não que enumerem o maior número de pessoas que eles
conhecem.
4.
a) Zezé de Camargo e Luciano: Pirenópolis (GO),sertanejo.
b) Jair Rodrigues: Igarapava (SP), MPB.
c) Roberto Carlos: Cachoeiro do Itapemirim (ES), MPB.
d) Gilberto Gil, Salvador (BA), MPB.
e) Zeca Baleiro, São Luís (MA), MPB.

Página 6

Esta pesquisa também serve para que o aluno tome consciência da diversidade social
brasileira. A avaliação deve considerar a capacidade do aluno na realização da pesquisa.

Exercício
Páginas 6 - 8

Oobjetivo deste exercício é o de permitir que o aluno tome consciência da
diversidade social brasileira expressa na paisagem urbana, seja a das metrópoles e sua
1

GABARITO

Caderno do Aluno

Sociologia – 2a série – Volume 1

periferia, seja as cidades de menor tamanho. A avaliação deve considerar a capacidade
do aluno na análise das imagens.

1. Famílias por classes de rendimento médiomensal familiar
Página 9

Em 1999, no Brasil, 27,6 % das famílias tinham rendimento médio familiar mensal
(RMFM) de até 2 salários mínimos, ao passo que somente 5,9% tinham RMFM de mais
de 20 salários mínimos (sm).
As regiões Norte, com 29,2% das famílias com RMFM de até 2 sm, e a Centrooeste com 26,7% das famílias com essa faixa de rendimento são as que mais se parecem
com o Brasil emtermos médios para a parte da população que possui baixos
rendimentos.
O Nordeste é a região com maior porcentagem de pobres pelo total da
população, pois 47,5% das famílias, ou seja, quase metade, possui RMFM de até 2 sm.
É também no Nordeste que estão as porcentagens mais baixas para todas as outras
classes de rendimento, o que, mais uma vez, evidencia a pobreza dessa região do país
quandocomparada tanto com a média nacional, como com as demais.
A região com menos pessoas nessa faixa é a Sudeste com 17,7% das famílias
com RMFM de até 2 sm, seguida da região Sul com 22,2%.
É também na região Sudeste que se encontra a maior porcentagem de famílias,
7,8% , com rendimentos superiores a 20 sm. A pior situação é a do Nordeste com
apenas 2,7% das famílias em tal situação.
É importanteainda destacar que em todas as regiões do país (com exceção da
Sudeste com 49,9%), mais da metade das famílias possui RMFM de até 5 salários
mínimos e que a porcentagem de famílias com ganhos superiores a 20 salários não
chega a 10% em nenhum dos casos.
Compreende-se, assim, que do ponto de vista dos rendimentos médios familiares
mensais, as regiões do país possuem entre si uma grandediversidade de situações e que
em todas as regiões também há, internamente, uma diversidade muito grande em termos
de rendimentos.
2

GABARITO

Caderno do Aluno

Sociologia – 2a série – Volume 1

2. Educação – Taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos ou mais
de idade por sexo
Página 10

No Brasil, apesar de a taxa de analfabetismo ser a mesma para homens e mulheres
(13,3%), quando odado é pensado para as diferentes regiões verificam-se pequenas
alterações. As maiores taxas, mais uma vez, estão no Nordeste (26,6%) e são muito altas
tanto para homens (28,7%) como para mulheres (24,6%), quando comparadas tanto com
a média brasileira de 13,3%, como quando observadas em relação às regiões que
apresentam as menores taxas, como a Sul e a Sudeste (7,8%). As regiões Sul e Sudestesão as que apresentam os menores índices (7,8%) no geral.
Para os homens, as menores taxas estão na região Sudeste com 6,8% e as
maiores no Nordeste, com 28,7%. Já para as mulheres, as menores taxas estão na região
Sul com apenas 8,4% de analfabetas e as maiores, mais uma vez, no Nordeste com
24,6%. Mas, enquanto na região Nordeste as taxas de analfabetismo são maiores entre
os homens,...
tracking img