Resumo o capital

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4114 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CAPÍTULO I

No inicio dos tempos humanos havia grupos (clãs, tribos) que repartiam tudo entre si. Era uma época em que na luta contra a natureza o homem perdia quase sempre. A luta para conseguir alimentos era extremamente árdua e por isto havia períodos de fome. Como sair desta situação?

CAPÍTULO II

Os homens primitivos começaram a aperfeiçoar os instrumentos para a natureza. Surgiram oarco, a flecha, a machadinha e muitos outros instrumentos. O homem começou então a produzir mais do que precisava para o consumo imediato. Iniciou o troca-troca, o intercâmbio. Foi quando surgiu a propriedade privada (na linguagem técnica, chama-se propriedade privada dos meios de produção). Os grupos, os mais bem armados passaram a dominar os mais fracos. Foi quando aconteceu algo de novo...CAPÍTULO III

Com o aparecimento da propriedade privada surgiu uma sociedade de duas classes: a dos senhores e a dos escravos. Tudo que o escravo produzia pertencia ao senhor (como acontece nos canaviais do Nordeste), inclusive ele mesmo. Acontece que o escravo não estava gostando da situação e começou a ficar “preguiçoso” (aliás, todo homem fica “preguiçoso” quando não detém os meios de produção) eos senhores foram comprando terras uns dos outros. Ai aconteceu outra mudança na página da história: O APARECIMENTO DO FEUDALISMO.
CAPÍTULO IV

Mas o que é feudalismo? – É o regime que se apoiava na propriedade da terra e onde os servos ( e não mais escravos) tinham mais interesse em produzir pos tinham uma pequena propriedade, para pagar impostos ao senhor feudal. Durante toda a Idade Médiahavia pequenos reinos onde quem vivia num deles não sabia o que se passava no outro. Só quem trabalhava e pagava imposto eram os camponeses, pois os nobres e o clero só queriam moleza. A Igreja nesta época pregava que só o sofrimento e o pagamento de impostos, é claro, levaria o homem ao Reino dos Céus. É quando surge uma nova personagem: O MERCADOR.
CAPÍTULO V

Já estamos em meados do séculoXV, mas desde o século XI já existia a figura do mercador. Inicialmente tudo era na base da troca, pois não havia dinheiro. Com o tempo o comércio foi aumentando, e os reinos cunhavam suas moedas, o que gerava muita confusão. Resultado: como o centro dos negócios estava em Veneza ela impôs a sua moeda. Os mercadores traziam especiarias, marfins, tecidos da Arábia e de Bizâncio e compravam e vendiam.Enquanto os nobres iam vivendo uma boa vida às custas dos servos, os mercadores iam dando duros. Apareceu uma nova classe: a dos mercadores ricos. Foi quando os portugueses, ingleses, franceses e espanhóis começaram a brigar pelos mares atrás dos mercadores do oriente, da Arábia e da Índia.

CAPÍTULO VI

No século XVI quem financiava os “grandes descobrimentos” eram os banqueiros. Os nobres eos reis deviam até os cabelos da cabeça. E os europeus continuavam roubando e saqueando tudo que encontravam pela frente nas Américas, na Ásia e na África. As cortes européias viviam do luxo e do esplendor as custas dos astecas, dos incas, dos povos saqueados. Com tanto ouro e tanta prata houve um aumento de preços espetacular. Por outro lado, a miséria era grande, os senhores feudais e os reiscontinuavam a receber artigos, arrendamentos e tinham de pagar preços altos. Resultado: a burguesia começava a mandar. Os camponeses não podiam pagar e eram expulsos violentamente de suas terras. E agora? Como vão viver os senhores feudais?

CAPÍTULO VII

Só tinha uma maneira dos senhores feudais sobreviverem: fazendo guerra contra donos de terras tentando restabelecer os impostos. Odesenvolvimento aumentava o valor do dinheiro e a terra fonte de renda. Para fazer a guerra os nobres necessitavam de dinheiro e de armas. Os artesões não produziam em escala suficiente e o jeito era apelar para os comerciantes ricos. Estes emprestavam o dinheiro e ainda reuniam os artesões em casas e galpões dos próprios comerciantes. Os comerciantes estavam numa boa. Emprestavam o dinheiro aos nobres e...
tracking img