Resumo de ler

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4307 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
RESENHAS
Eduardo Henrique de Matos Lima UFVJM – Diamantina/MG

______________________________________________________________________ A Crise dos Paradigmas e a Educação Zaia Brandão - org. A Crise de Paradigmas e o surgimento da Modernidade Danilo Marcondes Os paradigmas podem ser vistos então como 'realizações passadas dotadas de caráter exemplar' (KUHN, 1962, p. 218). E, mais adiante, temosque 'um paradigma é aquilo que os membros de uma comunidade científica partilham e, inversamente, uma comunidade científica consiste em homens que partilham um paradigma' (id., p. 219)." (pag. 17) "Uma crise de paradigmas caracteríza-se assim como uma mudança conceitual, ou uma mudança de visão de mundo, consequência de uma insatisfação com os modelos anteriores predominantes de explicação".(pag. 17) Descartes = subjetividade - cógito; Kant = sujeito transcendental (estrutura universal da subjetivdade - relação cognitiva com a realidade: sensibilidade pura, intuição pura, entendimento, capacidade de formular juízos; Iluminismo = consciência individual, autônoma em sua capacidade de conhecer o real: conhecimento, ciência e educação; Romantismo = sentimento e intuição como formas darelação entre o homem e a realidade subjetividade em outro sentido; Hegel = intersubjetividade - linguagem (sistema simbólico), trabalho (interação com o mundo) e ação recíproca (interação entre consciências); Marx = transformação da sociedade, eliminar o domínio de uma classe sobre as outras, não apenas pela Educação e pela Ciência; Nietzschen e Kierkegaard = angústia e desespero no questionamento dosentido da existência humana; A Crise dos Paradigmas e a Crise do Conceito de Paradigma Carlos Alberto Plastino Platão - paradigma é um modelo, idéia. Tb ver, visão, como aspectos da coisa vista. Thomas Kuhn - paradigma é o próprio conhecimento. "(...) parece-me necessário discutir não apenas a questão da crise de determinado paradigma, mas a crise do conceito mesmo de paradigma, o que significaquestionar a especialização das disciplinas científicas e sua produção, isto é, as problemáticas social, econômica, política e cultural das sociedades nas quais esta produção se realiza. A questão central que atravessa a crise do paradigma da Ciência moderna é a das relações entre o ser e o advir ou, pode-se dizer, entre a permanência e a mudança." (pag. 35) "Esta perspectiva iluminista foi hojeabandonada pela Física e pelas Ciências da natureza em geral. Liberados da fascinação de uma racionalidade fechada, esses saberes não mais sustentam a necessidade de negar a possibilidade do novo e do diverso, em nome de uma lei universal e

imutável. O conhecimento da ordem necessária, dada desde sempre e capaz de exprimir-se em um sistema fechado, deixa lugar à possibilidade de um conhecimentoparcial de um mundo aberto, de cuja construção o homem participa (Prigogine & Stengers, 1990, p. 302 e ss.). Assim o tempo, o sujeito e a história se transformam em fatores imprescindíveis para a compreensão do ser e da transformação, parâmetros iniludíveis para a construção do conhecimento." (pag. 36) "(...) não é de uma crise dos paradigmas que devemos falar, porque não se trata de substituir ummodelo que se verifica incapaz de refletir uma realidade dada. O que enfrentamos é a crise do conceito mesmo de paradigma, na medida em que, não existindo uma realidade dada - entendida como sistema fechado - já não se trata de discutir a maior ou menor pertinência de um modelo (paradigmas) que a reflita, mas é preciso criticar a pertinência do próprio conceito de paradigma. Esta segunda perspectivainclui a crítica do conceito de crise dos paradigmas, já que, ao contrário do modelo positivista, essa crise não deriva da inadequação dos paradigmas a uma realidade, mas de sua incompatibilidade com nossas escolhas éticas. Afirmar que não existe uma verdade necessária que cabe à Ciência conhecer, não significa negar a possibilidade ou a necessidade de uma racionalidade que cabe construir....
tracking img