Resenha critica da ambev

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (416 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A Visanet, empresa de meios de pagamentos eletrônicos controlada pelo Bradesco, Banco do Brasil e Santander, anunciou nesta terça-feira que seu novo nome será Cielo - que significa céu em espanhol eitaliano. A mudança de marca vem juntamente com o novo posicionamento da empresa, que também planeja ser conhecida como uma credenciadora multibandeira, assim como a principal concorrente, a Redecard.A nova estratégia nasceu da necessidade de se adequar às mudanças regulatórias que estão acontecendo no setor. Entre elas, está o fim do contrato de exclusividade entre a Visanet e a bandeira Visaprevisto para acontecer em junho de 2010. Dessa forma, o nome Visanet não faria mais sentido.


"Diante de grandes mudanças, a empresa tem que refazer suas estratégias comerciais e é o queestamos fazendo", afirmou Rômulo de Mello Dias, presidente da Cielo.

O governo tem discutido inúmeras medidas para impulsionar uma maior concorrência entre as empresas de meios de pagamento no Brasil.Atualmente, a Visanet e Redecard lideram largamente este mercado.

Com o fim da exclusividade, a Visanet (nova Cielo) passará a credenciar diversas bandeiras como Mastercard, Diners, American Express(Amex), entre outras.

Mello afirmou que ainda não procurou a MasterCard para negociar o início das operações, mas no momento oportuno deve anunciar o acordo com ela e também com outras bandeiras.Diferencial

Não há dúvida de que com as medidas regulatórias que estão sendo estudadas pelo governo, outras empresas terão melhores condições de competir com as duas líderes do setor.

Noentanto, Mello afirmou não estar muito preocupado com isso. "Esse negócio não é trivial. É um negócio de escala, que envolve uma série de expertises e nem é tão rentável como todos pensam. Não vai serfácil para grandes redes de varejo entrarem neste negócio."

No entanto, o presidente não descarta adotar margens menores no futuro. "Isso vai depender da reação do mercado, mas a escolha do cliente...
tracking img