Reengenharia e empowerment

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4564 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1. INTRODUÇÃO4
2. REENGENHARIA5
3.1 A REENGENHARIA DE PROCESSOS7
3.2 OS PROCESSOS DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES7
3.3 AS ETAPAS DA REENGENHARIA8
3.4 EXEMPLOS DA REENGENHARIA9
3.5 A REENGENHARIA E SUAS PROPOSTAS DE MUDANÇA11
3.6 A REENGENHARIA PODE FALHAR? 12
3.7 FALSA REENGENHARIA12
3. EMPOWERMENT 13
4.8 HISTÓRICO DO EMPOWERMENT144.9 DIMENSÕES DO EMPOWERMENT16
4.10 EMPOWERMENT E LIDERANÇA17
4.11 MUDANÇA NO PAPEL DA LIDERANÇA17
4.12 GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS E EMPOWERMENT18
4.13 O PODER, CONCEITO, TIPOS E CARACTERISTICAS19
4.14 EMPOWERMENT E O ALTO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL20
4. CONCLUSÃO21
5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ... 21 a 23

1. Introdução
O pensamento administrativoevoluiu para atender às necessidades da organização no competitivo mundo capitalista em que vivemos atualmente. A mudança da produção em massa para a produção enxuta leva as organizações a repensarem sua forma de administração para continuar competindo neste mercado dinâmico e mutável. Um ambiente competitivo dinâmico e complexo, onde a necessidade de inovação é fator determinante para o sucesso dasorganizações, exige que as pessoas estejam cada vez mais envolvidas em processos decisórios associados às estratégias empresariais.
A Reengenharia e o Empowerment fazem parte deste cenário, apresentando opções e ferramentas para dinamizar e otimizar processos e resultados.
Durante este estudo será possível visualizar os benefícios e os riscos destas ferramentas.

1. ReengenhariaA Reengenharia segundo VALERIANO, D. (1998), “reengenharia” é uma das vigorosas propostas que têm procurado questionar as tradições organizacionais industriais ( e, por assimilação, a quase totalidade das outras organizações) foram estruturadas de forma que o trabalho devesse ser decomposto em suas tarefas mais simples, agrupando-as em “departamentos” ditos funcionais. Atualmente, devido ainúmeros fatores, esse modelo organizacional tem sido questionado por causa da dificuldade e mesmo impossibilidade de atender ás exigências correntes e à mutabilidade e imprevisibilidade do ambiente que cerca as organizações. Estes efeitos são decorrentes de três forças que, agindo combinada e separadamente, impelem as atuais empresas para um território desconhecido para a maioria dos seus executivos egerentes.
São elas:
* Os clementes, que atualmente assumiram o controle, devido à legislação mais elaborada e que defende, ao maior volume de informações que têm sobre o mercado, à maior disponibilidade de produtos e diversidade de preços etc.:
* A concorrência, cada vez mais acirrada, como consequência da globalização da economia, de grande interação de empresas (sinergismo), doaparecimento de outras formas de concorrência (atendimento pós-venda, brindes como a “milhagem”, por exemplo).
* A mudança cada vez mais constante decorrente da grande pluralidade de produtos, rapidez da evolução tecnológica, ciclo de vida de produtos cada vez mais curtos e etc.
Para VALERIANO, D.(1998), as organizações baseadas no princípio da divisão de trabalho em tarefas simples,segundo o enfoque da reengenharia, cumpriam seu papel em um mundo menos evolutivo, mais livre de imprevistos e que dispunha de outros valores. A reengenharia objetiva organizar as empresas em torno da ideia de reunificação de tarefas em processos empresariais coerentes. Todos os demais aspectos administrativos subordinam-se a esses princípios, subvertendo aqueles estranhamente existentes nasorganizações de até então.
A reengenharia reforçou a visão sistêmica da empresa, mostrando-a como conjunto de processos orientados para o atendimento de necessidades dos clientes e usuários. Essa visão sistêmica fez as idéias básicas da reengenharia evoluírem para o conceito de organização horizontal. Em essência, a organização horizontal é a que organiza como um todo em processos-chaves,...
tracking img