Psicologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1437 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
AS CONSEQUÊNCIAS PSICOLÓGICAS COM VÍTIMAS DE BULLYING NA FASE ADULTA

PATRICIA FERNANDES GONÇALVES ¹

Resumo
O presente trabalho tem como objetivo caracterizar os aspectos que podem influenciar o indivíduo na construção da sua personalidade, sendo as mesmo vítimas de bullying. Para alcançartais objetivos busca-se em uma fundamentação teórica na Abordagem Centrada na Pessoa, um estudo sobre a formação da personalidade e a sua vivencia com o meio, e quais serão as possíveis influência que ocorre. Em outro tópico, buscou-se a pesquisar a definição do termo bullying, podemos em um primeiro momento caracterizá-lo como um fenômeno que acaba afetando a autoestima como também a saúdemental do individuo, e desta forma em muitos casos podemos ouvir relatos de adultos que sofreram quando criança e que até hoje não conseguem superar.

Palavras-chave: Construção da Personalidade. Bullying. Fase adulta.

1 TEMA E OBJETIVO DA PESQUISA

Este projeto de artigo apresenta como tema: Apresentar quais os aspectos que podem interferir na construção da personalidade de mulheres acima de30 anos.
O objetivo da presente pesquisa é identificar os aspectos que podem influenciar no processo da construção da identidade em indivíduos que foram vítimas de bullying no ensino médio.

2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

2.1 FORMAÇÃO DA PERSONALIDADE DO INDIVÍDUO

Para Rogers (1977) a construção da nossa identidade é maleável, sendo que sua formação vai de acordo com sua experiência quepodem ser facilitadoras ou não.
De acordo com Rogers (1977) na Abordagem Centrada na Pessoa a liberdade esta relacionada de acordo com o seu processo interno de sua vivência com suas experiências. E desta forma o individuo acaba se sentido livre para assim poder reconhecer e elaborar seus sentimentos da forma que ele mesmo entende.
Desta forma podemos entender que o individuo quando temconsciência de que suas vivências influenciam sua personalidade, o mesmo passa a compreender que não é preciso deixar de mostrar sua individualidade para ter apreço de outras pessoas. Mas infelizmente nem sempre é desta forma que acontece, em muitos casos o indivíduo como maneira de se proteger, ou ser aceito, e sem perceber vão ao longo do tempo abrindo mão de seus valores, muda sua maneira de ser, e ossentimentos naturais passam a viver em função de um padrão pré-estabelecido. Gusmão (1999).
Gobbi (2002) nos fala que é através dessas vivências de liberdade, de poder escolher aquilo que lhe agrada, sua escolha passa a ser mais satisfatória. Gusmão (1999) acredita que é muito importante que o homem se autoconheça e se autocritique, ou seja, que reconheça em si seus medos, sentimentos deimpotência e de revolta, sendo que desta forma ele poderá se libertar e assim poder ver a sua força que, segundo o autor, surge do seu poder pessoal e que consequentemente se amplia no seu contexto social.
Greening (1975) enfatiza que o homem não é só responsável pela sua individualização, mas também pelos impulsos positivos e a sua necessidade de fazê-lo. A perspectiva humanista enfatiza a ideia deque o homem possui um impulso para a auto-realização, que o liberta para inventar o homem, ao invés de condená-lo. Desta forma podemos chegar a conclusão de que na verdade todos os seres humanos necessitam de aceitação, sendo assim ao se sentirem aceitos, a situação se torna muito mais propicia a auto-realização.
A Abordagem Centrada na Pessoa crê que o ser humano possui uma capacidade de seimpulsionar para a freqüente tentativa de progredir, ou seja, que dentro de si, a pessoa possui os mecanismos necessários para lidar consigo e com o outro. No entanto esta capacidade pode não se manifestar se o indivíduo apresentar lesões ou conflitos estruturais impossibilitando o desenvolvimento desta tendência natural.
Rogers e Kinget (1975) nos fala que essa capacidade é própria a todo...
tracking img