Psicologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (292 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ
MATERIAL ELABORADO PELA PROFA. THEREZINHA DE J. CONDE PINTO

No texto a seguir, você conhecerá um pouquinho da infância de uma importanteescritora brasileira: Rachel de Queiroz, que nasceu em 1910, no estado do Ceará.



ESCOLA ANTIGA

Isto se passava lá pela década de 1920. Toda tarde, ao encerrar as aulas,naquela escola do Alagadiço, em Fortaleza, se dava a sabatina da tabuada. (Vocês sabem o que é? É a tabela das quatro operações, com números de um a dois algarismos).
Ascrianças decoravam a tabuada em voz alta, cantando assim:
“Duas vezes um, dois. Duas vezes dois, quatro. Duas vezes três, seis”, etc, etc.
Na hora dasabatina, os alunos de toda a classe formavam, de pé, uma roda, com a palmatória à vista, na mão da professora.
Somar e diminuir era fácil, mas, quando chegava a tabuada demultiplicar, era um perigo. A casa do sete, por exemplo, era a mais difícil: “Sete vezes seis, sete vezes oito” – já sabe, o coitado que errava, a professora mandava o seguintecorrigir e, se ele acertasse, tinha direito de dar um bolo de palmatória na mão do que errou. Doía como fogo.
Sempre havia os sabidinhos que decoravam tudo e davambolo nos outros. Mas recordo um grandalhão chamado Alcides que não acertava jamais. Mas não chorava nunca, podia levar vinte bolos, mordia os beiços e agüentava firme. Quandochegava em casa, estava com as palmas inchadas e tinha que botar as mãos de molho na água de sal.
Algum tempo depois, inaugurou-se a chamada “ESCOLA NOVA”. Acabaram com atabuada, com a sabatina e com a palmatória.
Acho que foi boa idéia.

Rachel de Queiroz. Memórias de menina. Rio de Janeiro, José Olympio, 2003.
tracking img