Psicologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 128 (31865 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Capa+Lombada NOESIS

07/09/24

17:54

Page 1

Não deixe de ler o próximo número!
Revista Trimestral I n.º 71 Outubro/Dezembro 2007 I € 3,00 (isento de IVA)

Tema do dossier:
“Escrita criativa”
(N.º 72, Janeiro/Março 2008)

Se tiver sugestões de temas a abordar
ou conhecer práticas de escolas que
considere importante divulgar,
envie-nos para o mail:
revistanoesis@min-edu.ptIIustração de Madalena Ghira

Quer ser assinante da Revista Noesis?
Fotocopie, preencha o cupão e envie para:
Revista Noesis
Av. 5 de Outubro, 107 – 8º
1069-018 Lisboa

1 Ano 10,00 €
2 Anos 19,00 €

Nome:

Assinatura da Revista Noesis I Trimestral

Morada:
Localidade:

Código Postal:

Telefone/telemóvel:
E-mail:
Contribuinte n.º
Cheque n.º

Banco

(passado à ordem deDirecção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular)

Data:

Assinatura:

Revista Trimestral I n.º 71 Outubro/Dezembro 2007

A partir do n.º

Dossier

Trabalho
colaborativo
de professores
Entrevista

Carlos Reis

Capa+Lombada NOESIS

07/09/24

17:54

Page 2

Quem foi o autor desta escultura?
Foi o escultor Simões de Almeida (Figueiró dos Vinhos, 1880 – Lisboa, 1950),chamado Sobrinho
para se diferenciar do seu tio, também escultor, de quem foi discípulo. A ele se deve o busto oficial
da República Portuguesa.

Onde se encontra esta escultura?
Falar de uma escultura é falar do seu material. Um bronze resulta de um processo faseado e
complexo, com início em pequenos estudos, seguidos de um modelo à escala real, em barro ou
gesso. A partir deste modelo, podemser fundidas uma ou mais esculturas em bronze, material mais
resistente e que pode ser colocado no exterior.
Simões de Almeida Sobrinho expôs este trabalho pela primeira vez, em 1913, no salão anual da
Sociedade Nacional de Belas-Artes em Lisboa. Era ainda um gesso.
Em 1944, o artista ofereceu o gesso ao Museu de José Malhoa e foi este que, mais tarde, o mandou
fundir em bronze para a suaExposição de Escultura ao Ar Livre, no Parque D. Carlos I, nas Caldas
da Rainha.
Num jardim, as esculturas cumprem as suas funções cívicas e ideológicas, mas podem assumir
simplesmente os seus ancestrais propósitos de memória e embelezamento. Aqui, as variações da luz
e da vegetação oferecem leituras cambiantes, muitas vezes apelativas ao tacto e ao envolvimento do
próprio observador, à medidaque se movimenta em seu redor.

Sugestões de actividades:
> As actividades sugeridas pretendem uma exploração multifacetada da escultura, ficando ao
critério do professor a sua adequação ao nível de escolaridade dos alunos.
1. Mostre a fotografia da escultura aos alunos e ajude-os a descobrir esta obra com perguntas: Em que tipo de barco
ia o jovem quando naufragou? Iria em trabalho? Porqueserá que ele ainda segura uma corda? Que laços terá com a
mulher que o ampara? Será a mãe? A namorada? A mulher? Porquê?
2. Peça aos alunos que relacionem a imagem com o excerto do poema “Ó mar salgado” de Fernando Pessoa.
,
3. Proponha aos alunos que façam experiências com gesso, utilizando, por exemplo, “moldes” de papel de alumínio
realizados a partir de conchas do mar ou “moldes” de barrofeitos com metades de laranjas sem a polpa.
4. Sabendo que a escultura Náufrago se inscreve num triângulo, peça aos alunos que realizem pinturas e colagens
inscritas noutras figuras geométricas ou que substituam as personagens aqui representadas por figuras geométricas.
5. Sugira a cada aluno que escreva um texto inspirado na imagem.

> Como uma imagem não substitui a escultura, visite comos alunos o Museu de José Malhoa e a
sua Exposição de Escultura ao Ar Livre.
Museu de José Malhoa
Parque D. Carlos I – 2500-109 Caldas da Rainha, T. 262 831 984; e-mail: mjm@ipmuseus.pt

Noesis71

07/09/26

15:09

Page 3

Sumário
Ficha Técnica
Directora
Maria Emília Brederode Santos
Editora
Teresa Fonseca
Produtor
Rui Seguro
Redacção
Elsa de Barros
Secretariado de...
tracking img