Propriedades coligativas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2314 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Fundação Educacional Machado De Assis
Escola Técnica Machado De Assis
Ensino Médio

TRABALHO DE QUIMICA

Propriedades Coligativas

Nomes:
Anderson Danielsson
Bruno Campanaro da Silva
2ºA

Santa Rosa, 28 de maio de 2007
Índice

Introdução 3

Propriedades coligativas 4

Tonoscopia 4
Ebulioscopia 5
Osmoscopia 5
Pressão osmótica 6
Pressão de vapor 7

Conclusão 8Bibliografia 9

Introdução

Neste trabalho procuramos buscar maior esclarecimento sobre as propriedades coligativas, quais são seus efeitos.

Propriedades coligativas

É comum vermos colocarem sal para ajudar a derreter neve (e impedir que se forme novamente) em estradas, a fim de que se evitem acidentes. Colocando um punhado de açúcar em água fervendo, ela pára de ferver eprecisa ser mais aquecida para que volte à fervura. Por que isso acontece? O que faz com que tais fenômenos ocorram? Resposta: Tudo se deve às propriedades coligativas. Mas, de princípio, convém definir o que são elas, certo?
Bem, propriedades coligativas das soluções são propriedades que dependem única e exclusivamente do número de partículas que estão dispersas na solução, não dependendo danatureza da solução. Isso significa dizer que a quantidade, e não a qualidade, das partículas que estão dispersas na solução é que irá influir na mudança nas propriedades (ou efeitos) coligativas. Os quatro efeitos coligativos são: Tonometria, Ebuliometria, Criometria e Osmometria. Os três primeiros foram estudados por Raoult, enquanto que o último foi estudado por Van’t Hoff.

TonoscopiaTonoscopia é uma propriedade coligativa que constitui na diminuição da pressão máxima de vapor (PMV) de um solvente quando se adiciona a ele um soluto não-volátil, ou seja, em relação à pressão de vapor de um solvente puro, pode-se dizer que sempre ela será maior do que a pressão de vapor de uma solução. Isso decorre do fato de que as partículas do soluto roubam energia cinética dasmoléculas do solvente, impedindo que parte destas ganhem o estado de vapor. As partículas dispersas constituem uma barreira que dificulta a movimentação das moléculas do solvente do líquido para a fase gasosa. Esse vapor entrará em equilíbrio com o líquido que é o que chamamos de “Equilíbrio Dinâmico”.
A diferença entre a pressão máxima de vapor do solvente puro e a pressão máxima de vapor dosolvente em solução denomina-se abaixamento da pressão máxima de vapor. Com isso, é possível estabelecer a seguinte condição para as soluções: quanto maior a quantidade de partículas em uma solução, menor será a sua pressão de vapor.
O abaixamento da PMV (DP) depende da temperatura. Ao quociente entre o abaixamento da pressão máxima de vapor (DP) e a pressão máxima de vapor do solvente puro(PO) damos o nome de abaixamento relativo da pressão máxima de vapor. Este independe da temperatura, porque a variação desta provoca uma variação de DP e p, da mesma magnitude, não alterando o quociente, desde que o soluto seja não-volátil.
Segundo a Lei de Raoult, a variação da pressão de vapor de uma solução diluída de um soluto não-volátil e não-iônico, é igual ao produto da pressãomáxima de vapor do solvente puro (po) pela fração molar do soluto (x1). Matematicamente: Δp = po . x1

Ebulioscopia

O estudo do efeito da elevação da temperatura de ebulição de um líquido, ocasionada pela dissolução de um sólido não-volátil. De princípio, convém sabermos o que é temperatura de ebulição. Podemos definir temperatura (ou ponto) de ebulição como sendo a temperatura em que apressão máxima de vapor de um determinado líquido se iguala à pressão ambiente. Nesse ponto, haverá a formação de bolhas de vapor e essas bolhas se desprenderão. Bom, tendo um soluto dissolvido, as bolhas terão maior dificuldade de se libertarem.
Segundo a Lei de Raoult, a elevação da temperatura de ebulição de uma solução diluída de um soluto não-volátil e não-iônico é diretamente...
tracking img