Processos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2348 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
cessos

Criatividade em Publicidade: Análise e avaliação do anúncio publicitário “Cinco Razões para não usar o Preservativo”

Unidade Curricular de Processos Criativos

Docente:

Discentes:
Aluno (s): Número (s)

Lisboa, 7 de Novembro 2012







Índice
* Índice Geral
Introdução…………………………………………………………………………………………………….…. 3
Enquadramento teórico: Análiseda criatividade na Publicidade.………………….….4
Análise da Campanha publicitária, avaliação e as respectivas justificações.……..5
Anexos.…………………………………………………………………………………………………………….9
Conclusão.……………………………………………………………………………………………………… 10
Bibliografia.……………………………………………………………………………………………………. 11

* Índicede Figuras
Figura1: Gráfico sobre a avaliação das perspectivas………………….……….………….… 9Introdução
Com este trabalho pretendemos analisar o anúncio publicitário português “Cinco razões para não usar o preservativo”, filme escrito, produzido e realizado pela Monomito Argumentistas para a campanha de prevenção da infecção pelo vírus da Sida lançado pelo Auto comissariado da saúde em Outubro de 2007. Foi considerado o melhor anúnciogovernamental Europeu de prevenção da Sida no European AIDS VideoContest 2009, um concurso internacional dinamizado pelo governo Alemão.
Neste contexto vamos analisar e comparar os resultados consoante a Perspectiva de Haberland e Dacin (1992) que engloba: originalidade, significado, reformulação, condensação, humor veiculado pela mensagem e atitude em relação a marca e que obtivemos a avaliação finalde cinco valores. Com a perspectiva de Smith et al. (2007) que inclui: divergência, relevância, processamento da mensagem pelo consumidor e respostas que podem operacionalizar, qualidade da produção a publicidade e a divergência e a relevância analisadas globalmente com a pontuação de cinco valores.
Porque a escolha deste anúncio?
Causou e causará algum impacto ao público?
O anúnciopublicitário é muito ou pouco criativo?
Com este trabalho procurou-se recolher e analisar o conteúdo do anúncio publicitário, bem como a sua criatividade em relação a outras campanhas publicitárias de SIDA (spots) que foram difundidas nas cadeias de televisão portuguesa, tendo em base as Perspectivas de Haberland e Dacin (1992) e a Perspectiva de Smith et al. (2007).Enquadramento teórico: Análiseda criatividade na Publicidade
Consoante o que temos vindo a aprender nesta Unidade Curricular de Processos Criativos, reteremos que criatividade é um tema muito abrangente que alberga diferentes perspectivas, sendo assim cada pessoa pode ter uma perspectiva do que é a criatividade. Embora existe várias perspectivasa Criatividade terá sempre os mesmos pontos desituação a ser avaliados, para avaliarmos a criatividade na publicidade foi necessário recorrer as várias perspectivas.Consequentemente na respectiva avaliação deste filme publicitário analisou-se, avaliou-se e justificou-se tendo em conta a perspectiva de Haberland e Dacin (1992) e a perspectiva de Smith et al. (2007).
Conseguimos assim reter que a criatividade na publicidade, potencia o sucessoda campanha.
A Criatividade na publicidade deve ser então algo original,tendo em conta os autores citados compreendemos por original algo que seja único exclusivo, diferente daquilo que já havemos visto habitualmente, ou seja terá que ser surpreendente. Mas o mais importante se consiga atingir o público-alvo e satisfaze-lo, chegar até ele despertar o interesse e capacidade de imaginação nomesmo.
Segundo os autores mencionados entendemos que este anúncio publicitário, também poderá ser criativo a medida que é inovador, pois a implantação de novas ideias numa publicidade é essencial apesar de ser extremamente difícil de por em práticas novas ideias tentando não deixar de obter uma publicidade assaz criativa que vá de encontro as necessidades do público e dos nossos objectivos...
tracking img