Principio antropico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4429 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Estudo Orientado de Graduação
Título: O Princípio Antrópico Cosmológico
Autor: Victor Schmidt Comitti
Orientador: Domingos Sávio de Lima Soares

1. Introdução

Por muito tempo o pensamento humano foi dominado pelo que ficou conhecido como princípio autocêntrico: a crença de que o homem ocupa uma posição central no universo. Foi Copérnico, no século XVI, quem tirou os humanos dessaposição privilegiada ao postular que a Terra não ocupa uma posição espacialmente favorável no cosmo. Uma extensão mais recente do princípio de Copérnico é o princípio cosmológico perfeito que diz que o universo deve ser homogêneo e isotrópico em grandes escalas no espaço e no tempo. Uma conseqüência imediata dessa proposição é que a Terra não pode ser especial de nenhuma maneira.

O PrincípioAntrópico (PA) apareceu como uma maneira de condensar essas duas posições extremas -- o princípio autocêntrico e o princípio cosmológico -- em um princípio conciliador que trata o fato da nossa existência como uma explicação válida em física.

O primeiro autor a usar um argumento baseado no PA, ainda que este ainda não houvesse sido definido como tal, foi o físico norte-americano Robert Dicke, numartigo de 1961 [1]. Dicke notou que o tempo de Hubble T -- uma estimativa da idade do universo baseada no modelo padrão da cosmologia --, não poderia assumir um valor aleatório. Um limite mínimo para o valor de T seria estabelecido pelo tempo necessário para que elementos mais pesados que o hidrogênio fossem sintetizados nas estrelas. O limite máximo seria determinado pela necessidade da existênciade um ambiente hospitaleiro que reunisse as condições necessárias para que o ser humano pudesse existir. Esse limite superior é definido pela idade máxima que uma estrela capaz de gerar energia por reações nucleares pode ter.

O Princípio Antrópico só foi definido formalmente pelo astrofísico norte-americano Brandon Carter em 1974 [2]. Carter definiu o princípio em duas versões: a fraca e aforte. De acordo com a versão fraca, nas palavras dele, devemos estar preparados para levar em conta o fato de que a nossa posição no universo é necessariamente privilegiada de alguma forma, de maneira a ser compatível com nossa existência como observadores. Já a versão forte, também nas palavras de Carter, diz que O universo (e por conseqüência os parâmetros fundamentais do qual ele depende) deve sertal que admita a criação de observadores dentro dele em algum estágio.

É importante notar que as duas versões do PA expressam idéias completamente diferentes. O princípio antrópico fraco apenas impõe restrições de lugares (no espaço e no tempo) onde observadores inteligentes podem existir. O princípio antrópico forte, por outro lado, coloca limites bem estabelecidos para todas as constantesfundamentais da física.

O PA pode parecer trivial ou até mesmo tautológico à primeira vista, porém ele já foi invocado várias vezes, sobretudo para explicar o ajuste fino de certas constantes. As constantes de acoplamento gravitacional e nuclear, por exemplo, se tivessem valores sensivelmente diferentes inviabilizariam a existência de vida inteligente na Terra. É importante notar que, emnenhum momento, o Princípio Antrópico se apresenta como uma ferramenta realmente capaz de explicar certos fenômenos. Ele é, no máximo, uma maneira interessante de se pensar sobre certas questões, enquanto ainda buscamos uma física mais fundamental da qual possamos derivar todos os fenômenos cujas causas nos são desconhecidas até o momento.

2. Formulações de Barrow e Tipler

Em meados da década de80, os cosmológos John D. Barrow e Frank J. Tipler escreveram o livro The Antropic cosmological principle [3] -- a maior referência sobre Princípio Antrópico existente na literatura. No livro, os autores reformulam as definições de Carter. Na versão deles, o Princípio Antrópico Fraco fica da seguinte maneira: os valores observados de todas as quantidades físicas e cosmológicas não são...
tracking img