Politicas setoriais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 24 (5814 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A PRÁTICA DA LEITURA EM MATO GROSSO NO SÉCULO XX
Franceli Aparecida da Silva Mello (UFMT)
“Por muito que deva à memória coletiva é o indivíduo que recorda.” Ecléa Bosi

RESUMO: Este artigo apresenta alguns resultados de uma pesquisa que tem como um de seus objetivos descrever as práticas de leitura em Mato Grosso no século XX. Para tanto, julgamos necessário investigar a formação do leitor, opapel das instituições e as circunstâncias estruturais que oportunizaram, ou não, tal prática em Mato Grosso. PALAVRAS-CHAVE: leitura, Mato Grosso, século XX. ABSTRACT: This article presents some results of a research that has as one of its objectives to describe the reading practice in Mato Grosso in the 20th century. To do that, we think that it is necessary to investigate the making of areader, the institution’s function and the structural circumstances that gave opportunity, or not, for such practice in Mato Grosso. KEYWORDS: reading, Mato Grosso, 20th century. Introdução Felizmente a reclamação que vimos fazendo desde o início de nossa pesquisa sobre a história da leitura em Mato Grosso, qual seja, a da inexistência de qualquer trabalho na área, começa a perder seu sentido.Recentemente uma professora da UFMT defendeu tese de doutorado sobre a história do ensino de leitura em Mato Grosso (Amâncio:2000), trazendo grande contribuição para elucidar aspectos de um tema ainda pouco estudado entre nós. Através do levantamento e análise de documentos oficiais, a autora demonstra como medidas institucionais e pedagógicas encetadas pelas reformas do ensino de 1910 e 1927 estavamatreladas ao projeto político de modernização do estado. Dentre as inovações promovidas pela reforma de 1910, a introdução de um método de ensino de leitura destaca-se pelo mérito de ter inaugurado um discurso sobre o tema que foi se consolidando com o passar do

tempo. A referida pesquisa toma por base o discurso institucional sobre o ensino de leitura, o que pode trazer limitações quando seprocura ter uma noção de como tais medidas se concretizaram no cotidiano escolar. Para tanto seria necessário ouvir os sujeitos que atuaram na base deste projeto, ou seja, professores e alunos. Embora nossa investigação tenha adotado uma metodologia diversa da de Amâncio, cremos que ambas se complementam e, cada uma a seu modo, concorre para o aprofundamento da discussão em torno da história da culturaletrada em Mato Grosso. De acordo com Manguel (1997), para quem a história da leitura é a história de cada um dos leitores, não sendo possível sua elaboração sem o exame das intuições privadas e das circunstâncias particulares que condicionam tal atividade, nosso trabalho pretende que a história da leitura em Mato Grosso seja contada pela voz de personagens que atuaram efetivamente no processo dedesenvolvimento cultural do estado e cujos relatos pessoais ajudam a reconstituir a memória da sociedade mato-grossense no que tange à prática da leitura. Assim, como metodologia básica da pesquisa optamos pela realização de entrevistas com um corpus selecionado de acordo com a representatividade no meio cultural mato-grossense e com a faixa etária dos informantes, este último critériojustifica-se pelo desejo de fornecer uma noção do processo evolutivo das condições de leitura em Mato Grosso. Primeiro contato com a leitura No início do século XX o sistema de ensino em Mato Grosso encontrava-se bastante atrasado em relação ao resto do país. A pequena população do estado, dispersa num imenso território, enfrentava todo tipo de dificuldade de abastecimento devido ao isolamento. A despeitoda reforma do ensino de 1910 ter implantado os primeiros grupos escolares, apenas uma pequena elite concentrada na capital e em algumas poucas cidades do interior beneficiou-se disso. À maioria dos mato-grossenses era vetado o acesso às instituições culturais e a material de leitura, este adquirido em viagens, sob encomenda ou, para os que moravam na capital, na única biblioteca pública,...
tracking img