Plantas medicinais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3288 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ESCOLA MUNICIPAL DONA AMÉLIA GARCIA CUNHA

SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO:
ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE.
PLANTAS MEDICINAIS
Público Alvo:- Alunos dos 5º V: 6º A,B,D,V;7º D; 8º D,V;9º A,B anos; famílias dos alunos; professores e administrativos da escola.

Escola Municipal Dona Amélia Garcia CunhaAvenida Ema, Q.46 – Setor Oeste, Centro




Chapadão do Céu – GO/2010

ESCOLA MUNICIPAL DONA AMÉLIA GARCIA CUNHA
SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO:
ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE.
PLANTAS MEDICINAIS

Chapadão do Céu – GO / 2010
JustificativaQuando a Escola lançou o Projeto Agrinho junto aos professores com o tema: “Ética, Cidadania e Meio Ambiente”, surgiram várias idéias e uma preocupação muito grande em encontrar com eles uma proposta que tivesse o envolvimento de todos e que tivesse o devido respaldo na comunidade.
Após conversarmos muito sobre o material de estudo e sugestões do Projeto, chegamos a uma problemática: o uso de cháscaseiros, sem orientação médica, levando em conta as propagandas do Ministério da Saúde sobre automedicação, se as ervas vendidas no comércio em geral, feiras e lojas de alimentação alternativa possuem uma devida fiscalização. Quem garante que as ervas expostas foram cultivadas de forma a produzir mais princípios ativos, plantadas na época certa, colhidas quando a planta tem mais efeito curativo,ou secadas e armazenadas de maneira correta?
Levantada a hipótese sobre o uso de chás, surge o Projeto Plantas Medicinais; com a proposta de resgatar de forma consciente o uso correto dessa cultura popular, que já vem sendo utilizada desde a antiguidade.
São vários os motivos que dão respaldo ao Projeto Plantas Medicinais como:
• Apesar dos avanços da medicina moderna, 80% dapopulação mundial utilizam a Medicina Popular em seus cuidados básicos de saúde. (Ministério da Saúde, 2007).
• Na Assembléia Mundial de Saúde, 1987, recomendou aos países participantes, programas relativos à identificação, à avaliação, preparo e cultivo de plantas utilizadas em medicina popular.
• O Decreto nº5.8l3, de 22 de junho de 2006, estabelece a Política Nacional de Plantas Medicinais eFitoterápicos com objetivo de estabelecer diretrizes para o uso racional e seguro desses produtos vegetais.(M.S., 1987).
• Temos o Cerrado como meio ambiente a maior biodiversidade do mundo.
• A Carta de Otawa, 1986, “as ações governamentais devem também trabalhar no sentido da promoção da saúde... capacitar a comunidade para atuar na melhoria da qualidade de vida... o simples observar ou a contemplaçãode árvores e plantas e o contato com a natureza, de acordo com estudos científicos, pode melhorar o estado de ânimo das pessoas e auxiliar tanto em estados avançados de doença como proporcionar prazer e bem estar” (Sacramento et al.,2009).
Também através das informações trabalhadas e adquiridas pelos alunos torná-los multiplicadores atualizados na comunidade em que vive. Promover conhecimentos acerca das plantas e ervas existentes na comunidade para que possam contribuir para a prevenção de pequenos males e desmistificar idéias e conceitos muitas vezes ultrapassados, ressaltando a importância dos alunos trazerem seus conhecimentos prévios, a fim de que todos possam ensinar e aprender com o projeto.

Objetivos

Objetivo Geral
Oferecer uma proposta educacional de trabalho coletivopedagógico organizado, com ações e formação complementares às atividades dos currículos escolares que envolvam toda a comunidade escolar, no estudo das plantas medicinais, aromáticos, condimentos e especiarias. Promovendo conhecimentos a cerca das plantas e ervas existentes na comunidade, para que possa contribuir com seu valor como terapia de ajuda, uma alternativa para pequenos males....
tracking img