Obesidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1129 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de agosto de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
GIOVANA RAFAELA CAMPOS

OBESIDADE,PROBELMAS RELACIONADOS, BULIMIA, ANOREXIA.



CURITIBA
2011

1. OBESIDADE

A obesidade é uma enfermidade crônica que se acompanha de múltiplas complicações, caracterizada pela acumulação excessiva de gordura em uma magnitude tal que compromete a saúde, explica o Consenso Latino Americano em Obesidade. Entreas complicações mais comuns está o diabete mellitus, a hipertensão arterial, as dislipidemias, as alterações osteomusculares e o incremento da incidência de alguns tipos de carcinoma e dos índices de mortalidade. 

A obesidade é ainda o resultado de ingerir mais energia que a necessária. Não há dúvidas que este consumo excessivo pode iniciar-se em fases muito remotas da vida, nas quais asinfluências culturais e os hábitos familiares possuem um papel fundamental. Por isso dizemos que a obesidade possui fatores de caráter múltiplo, tais como os genéticos, psicosociais, cultural-nutricionais, metabólicos e endócrinos. A obesidade, portanto, é gerada pela interação entre fatores genéticos e culturais, assim como familiares.

Ainda de acordo com o Consenso, existe uma clara tendência entreos membros de uma mesma família possuírem um índice de massa corporal (IMC) similar. São várias as publicações científicas que demonstraram uma correlação entre o IMC de pais e filhos, o que sugere que, provavelmente, tanto os genes como um ambiente familiar compartilhado, contribuem ao desenvolvimento da obesidade.

1. Obesidade infantil

Segundo o Manual de Psiquiatria Infantil, de 1983,uma criança é considerada obesa quando ultrapassa em 15% o peso médio correspondente à sua idade, desde que o excesso de peso corresponda ao acúmulo de lipídios, fato que pode ser avaliado pela espessura da prega cutânea. No entanto, não é fácil estabelecer parâmetros que definam, com precisão, o limite entre peso normal, sobrepeso e obesidade.

De acordo com a professora Marília de Brito Gomes,da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), não há como separar o termo obesidade de excesso de gordura corporal. "Admite-se que para a raça humana, a percentagem de gordura corporal situe-se entre 15 e 18% para o sexo masculino e entre 20 e 25% para o sexo feminino. Podem ser considerados obesos os homens com percentual superior a 25% e as mulheres com mais de 30%".

2. DiabetesDoença provocada pela deficiência de produção e/ou de ação da insulina, que leva a sintomas agudos e a complicações crônicas características.

O distúrbio envolve o metabolismo da glicose, das gorduras e das proteínas e tem graves conseqüências tanto quando surge rapidamente como quando se instala lentamente. Nos dias atuais se constitui em problema de saúde pública pelo número de pessoas queapresentam a doença, principalmente no Brasil.

Os pesquisadores desenvolveram um tratamento terapêutico que contra-ataca os efeitos de uma enzima natural, a proteína GSK 3, que comprovadamente participa da atividade de produção de insulina e é sumamente ativa nos tecidos de pacientes afetados pelo diabetes tipo 2. O Tratamento sintetiza uma série de moléculas de peptídeos para anular a funçãodestrutiva desta proteína. 

Mais de 90% dos casos de diabetes em adultos é do tipo 2. Em geral afeta pessoas obesas com mais de 45 anos, que levam uma vida sedentária. Embora possa ser controlada por meio de uma combinação de medicamentos e por uma mudança no estilo de vida, cerca de 40% dos pacientes necessitam, também, de injeções de insulina.

 A pesquisa da Dra Hagit tem como objetivoprimordial compreender a base molecular da obesidade e da diabetes tipo 2. seu trabalho procura identificar quais são os defeitos moleculares específicos que ocorrem nos tecidos gordurosos dos doentes de diabetes. A identificação destes defeitos permitiu à equipe da Universidade de Tel Aviv desenvolver novas alternativas para o tratamento da doença, como a proteína GSK 3.

3. Infarto

O ritmo de...
tracking img