Nome da rosa - resenha

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2373 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Resumo comentado do filme “O Nome da Rosa”

O filme se passa na Itália, em um monastério beneditino, durante a Idade média, onde alguns monges morreram de maneira misteriosa.
Na história mundial, a idade média é o berço do período renascentista, tendo como principal característica a diminuição do poder da igreja e a valorização do homem como centro do mundo.
William de Baskerville (SeanConnery), um monge franciscano e um noviço que o acompanha, chegam ao monastério para participar de um concilio para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas.
Nesta época, enquanto parte do alto clero (bispos, arcebispos e cardeais) preocupava-se com as questões políticas e econômicas, muitos integrantes da Igreja Católica colocavam em prática os fundamentos do cristianismo. Os mongesfranciscanos, por exemplo, deixaram de lado a vida material para se dedicarem aos pobres, e tentavam convencer a igreja a distribuir seus bens aos necessitados.
O abade do monastério pede ao Ir. William que desvende as mortes antes da chegada da delegação papal, pois ela estará acompanhada do Inquisidor Bernardo Gui e como todos acreditam que as mortes são obras do demônio, o inquisidor usará deseus meios para encontrar os representantes do mal.
A figura do inquisidor era muito comum na idade média. Ele era a autoridade máxima da Inquisição que julgava as pessoas suspeitas de atitudes contra a representante máxima de Deus, a igreja católica. O condenado era muitas vezes responsabilizado por uma "crise da fé.” As penas variavam desde confisco de bens e perda de liberdade, até a pena demorte, muitas vezes na fogueira, método que se tornou famoso, embora existissem outras formas de aplicar a pena.
Enquanto caminha pelo monastério, acompanhado de Adso, o noviço, Ir. William observa um dos locais aonde foi encontrado um dos corpos. Analisando o local, baseado nas informações que recebeu, Ir. William supõe que na realidade o monge não foi assassinado, mas suicidou-se. Depois deconversar com um outro monge franciscano, que também acredita que o monastério esteja sendo rondado pelo demonio, Adso se mostra impressionado com os fatos ocorridos e com os rumores. Ir. William o aconselha a não se deixar influenciar pelos boatos sobre o anticristo, e sim exercitar o cérebro, tentando solucionar o enigma da morte.
O monge franciscano representa o intelectual renascentista, que comuma postura humanista e racional, tenta desvendar a verdade por trás dos crimes cometidos no monastério.
Enquanto conversavam, o monge franciscano e seu discípulo presenciaram camponeses fazendo doações à igreja, doações essas que eram registradas por um monge beneditino. Ao mesmo tempo, em outro local, camponeses miseráveis disputavam o lixo, que era jogado fora nos arredores dos muros domosteiro.
Era uma prática comum nessa época os camponeses doarem tudo ou quase tudo para a igreja, como modo de garantir um lugar no céu. E enquanto a igreja era detentora de muitos bens, muitos morriam de fone, viviam como miseráveis.
Todos os religiosos se reúnem para a refeição do dia, e o abade agradece publicamente o Ir. William por desvendar o último crime ocorrido, dando assim tranqüilidadepara o inicio dos debates nos próximos dias. Durante a refeição, algumas palavras são entoadas, por um monge que diz: “um monge deve manter-se em silêncio, não deve falar o que pensa até que seja questionado e um monge não deve rir”
Essa frase já demonstra a tendência no período de só se respeitar a seriedade, a contenção e a mente.
No dia seguinte, todos os religiosos estão na capela entoandocânticos, e um monge entra gritando que tinha havido outra morte misteriosa.
O canto gregoriano representa bem o espírito medieval, sua letra é um texto sagrado, sem acompanhamento de instrumentos musicais, contendo assim os supostos elementos diabólicos encontrados nas musicas de um modo geral.
O abade se sente culpado por ter acreditado nas explicações de Ir. William em relação à morte...
tracking img