Micologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1554 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
DIAGNÓSTICO E CLASSIFICAÇÃO DAS MICOSES
AS MICOSES SÃO INFECÇÕES FÚNGICAS QUE PODEM SER CLASSIFICADAS CONFORME:
1) LOCALIZAÇÃO DO PROCESSO:
a. DERMATOMICOSES;
b. OFTALMOMICOSES;
c. ONICOMICOSES;
d. TRICOMICOSES;
2) FUNGO RESPONSÁVEL:
a. APERGILOSES;
b. HISTOPLASMOSE....;
3) TECIDO E ÓRGÃOS AFETADOS:
a. MICOSESSUPERFICIAIS;
b. MICOSES CUTÂNEAS;
c. MICOSES SUBCUTÂNEAS;
d. MICOSES SISTÊMICAS
- POR FUNGOS PATOGÊNICOS;
- POR FUNGOS OPORTUNISTAS

MICOSES SUPERFICIAIS
SÃO MICOSES Limitada à pele e pêlo, são infecções restritas ao "stratum corneum", com mínima ou nenhuma reação tissular ou cutânea, como exemplos têm as piedras e a pitiríase. Nãoocorre nenhuma lesão no pelo, e sim crescimento sobre o mesmo sem nenhuma patologia para o mesmo, PORTANTO EVOLUEM SEM PROVOCAR RESPOSTA IMUNE OU DESCONFORTO FÍSICO.
.
SINONÍMIAS: CERATOFITOSES
OS FUNGOS NECESSITAM DE CONDIÇÕES MÍNIMAS PARA SEU CRESCIMENTO, QUE ENVOLVE FATORES NUTRICIONAIS E FATORES FÍSICOS. NAS MICOSES SUPERFICIAIS A QUERATINA É O SUBSTRATO, NUTRIÇÃO, QUE OS FUNGOS NECESSITAMPARA DESENVOLVER. E REVELAM-SE COMO FATORES FÍSICOS UMIDADE, CALOR, BAIXA DE IMUNIDADE DO HOSPEDEIRO QUE ASSIM, FACILITA OU FAVORECE O DESENVOLVIMENTO DO FUNGO.

PITIRÍASE VERSICOLOR
1) SINONÍMIAS: TINHA OU TINEA VERSICOLOR, PANO BRANCO, MICOSE DE PRAIAS
2) AGENTE ETIOLÓGICO: Malassezia furfur
A Malassezia furfur é uma levedura lipofílica, isto é, depende de lipídios para o seumetabolismo.
3) EPIDEMIOLOGIA E PREVALÊNCIA: A Malassezia furfur FAZ PARTE DA MICOBIOTA HUMANA E EXISTE EM TODO MUNDO. É MUITO COMUM E AFETA AMBOS OS SEXO TENDO PREVALÊNCIA EM ADULTOS JOVENS DE PELE OLEOSA. A PITIRÍASE VERSICOLOR NÃO É CONTAGIOSA.
4) MANIFESTAÇÕES CLÍNCAS: POR SER UMA LEVEDURA LIPOFÍLICA A Malassezia furfur SE DESENVOLVE EM REGIÕES SEBORREICAS COMO TRONCO, PESCOÇO, COUROCABELUDO, CONDUTO AUDITIVO EXTERNO. AS LESÕES ASSINTOMÁTICAS SE EXTERIORIZAM COMO MÁCULAS DESCAMATIVAS DE BORDAS DEFINIDAS, MAS DE TAMANHO E CORES VARIADAS (HIPO OU HIPERPIGMENTADAS) DAÍ A DENOMINAÇÃO VERSICOLOR.
As lesões podem ser evidenciadas ao exame com a luz de Wood, as quais APRESENTAM FLUORESCENCIA VERDE-AMARELADA.
São também observadas outras doenças associadas à Malassezia furfur commanifestações clínicas específicas, tais como a foliculite, a dermatite seborréica e o eczema facial, porém ainda não há comprvação cientÍfica suficiente para comprovar que o fungo é o causador ou se é oportunista.

5)DIAGNÓSTICO LABORATORIAL:
A. EXAME DIRETO:
RASPADOS DE PELE, UNHAS OU PÊLOS CLARIFICADOS COM KOH 20% VISUALIZA-SE CÉLULAS LEVEDURIFORMES GLOBOSAS OU OVAIS EM CACHOSE HIFAS CURTAS E NÃO RAMIFICADAS.
B. CULTURAS
Ágar Sabouraud com ou sem cicloheximida ACRESCIDO DE SUBSTâNCIAS OLEAGINOSAS COMO ÓLEO DE OLIVA. Com antibiótico, a 250C, o crescimento é variável, de moderado à lento (7 a 21 dias). AS COLÔNIAS TÊM TEXTURA CREMOSA DE COR CREME À MARROM-CLARO, DE SUPERFÍCIE LISA OU LEVEMENTE RUGOSA.

6) PATOGENIA:
O POLIMORFISMO DA Malassezia spp OBSERVADONA PITIRÍASE VERSICOLOR DEPENDE DE VÁRIOS FATORES QUE ATÉ HOJE NÃO FORAM BEM ESCLARECIDOS.
AS LESÕES HIPOCRÔMICAS PODEM ACONTECER PELA PRESENÇA DE ÁCIDO AZELÁICO NO FUNGO, ESTE ÁCIDO TEM ATIVIDADE ANTITIROSINASE QUE INTERFERE NA MELANOGÊNESE. NA EPIDERME E DERME A Malassezia spp APRESENTA HIPERQUERATOSE E LEVE ACANTOSE, INFILTRADO PERIVASCULAR DE LINFÓCITOS, CÉLULAS PLASMÁTICAS E HISTIÓCITOS.ALGUNS AUTORES CONSIDERAM QUE ALTERAÇÕES BIOQUÍMICAS OU FISIOLÓGICAS NA PELE PROVOCADAS POR FATORES GENÉTICOS OU EXTERNOS TORNAM O HOSPEDEIRO SUSCEPTÍVEL A INFECÇÃO. OUTROS ESTUDOS ACREDITAM QUE ALTERAÇÕES NEUROLÓGICAS, ESTRESSE, NÍVEIS SÉRICOS AUMENTADOS DE ANDRÓGENOS OU CORTISOL, HIPOVITAMINOSE, CALOR, UMIDADE, USO DE CREMES OLEOSOS AUMENTAM A SECREÇÃO DE ÁCIDOS GRAXOS E ASSIM FAVORECEM O...
tracking img