Memorial

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1463 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Memorial

Augusto Celso do Carmo e Silva

Minha jornada no Curso Técnico de Informática

Estava fazendo um curso de PINTURA PREDIAL, tentando sair da total confusão que estava minha vida, aos 59 anos, sem emprego, sem uma profissão definida e com minha esposa em tratamento médico.

O curso citado acima foi promovido pela Prefeitura de Marituba – SecretariaMunicipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SEMADS). Os CRAS - Centros de Assistência Social são os responsáveis pela aplicação dos cursos.

O curso de PINTURA PREDIAL foi realizado no mês de março até meados do mês de abril. Realizavamos a parte prática do curso no Cras Gedova Nazari. Por volta do dia 10 de abril, a secretária fixou, no quadro de avisos, um informativo referente a doiscursos técnicos gratuitos: Informática e Enfermagem, dizendo para algumas pessoas presentes, que a inscrição seria feita até o dia 15 do mês de abril pelo site que constava no informativo e que a exigência seria Nível Médio.

Como estava fazendo a pintura da parede num local próximo, fui ler o informativo, onde constava, não só o dia que as inscrições iriam ser encerradas, como o diada prova (29 de abril).

Pensei em fazer a inscrição, mas fiquei na dúvida em qual dos cursos me inscrever. Depois de analisar, com calma, optei pelo curso de Informática.

Quando fui fazer a inscrição, esqueci de levar o papel onde havia anotado o site. Liguei para minha esposa dizendo a ela onde havia deixado o papel, podendo fazer a inscrição para o curso escolhido.Outro problema ocorreu quando apareceu a relação de escolas, a maioria ficava longe de casa. Conhecia, apenas a Escola Agro-industrial Juscelino Kubitschek.

A outra escola, em Marituba, era a Dom Aristídes Pirovano. Mesmo sem saber o endereço, fiz minha escolha por ela e me inscrevi para o turno da manhã.

Consegui descobrir o endereço da Escola Dom Aristides e fuilá para obter informações a respeito do local da prova.

A secretária me atendeu muito bem e solicitou o comprovante de inscrição para verificar a escola onde constava o meu nome. A escola foi a N. Sa. Do Rosário, situada à rua Fernando Guilhon próximo da Igreja Evangélica Assembléia de Deus. O mais importante: ficava perto de casa.

O horário da prova foi confirmado para às14h do dia 29 de abril de 2012 e teria que comparecer 01 (uma) hora antes do início da mesma.
O tempo para a prova era exíguo e não tinha a menor idéia do que estudar. O conteúdo era sobre matérias como: Português, Matemática e Conhecimentos Gerais, atualidades, provavelmente.

Comentei com minha esposa sobre qual poderia ser o assunto da prova. Falamos sobre variaspossibilidades, sem nenhuma conclusão definida. O certo é que deveria contar com o conhecimento adquirido enquanto estudante e algumas provas de concursos, na realidade foram muitas.

O dia da prova chegou, 29 de abril. Acordei cedo e procurei ficar concentrado, focando meus pensamentos na prova que iria realizar. Era um domingo ensolarado, um céu límpido de um azul celeste inconfundível,mais parecia a tela de um artista. E era!

Por volta da 12hs nos reunimos para o almoço: minha esposa Adriana, minha filha Dayse, meu genro Jonyson e nosso Deny, neto querido, 04 anos – um presente de Deus.

Uma hora antes do horário marcado para o início da prova, dei um beijo em minha esposa e ela desejou-me sorte dizendo para Deus proteger-me. Mas, antes da minha saídacomeçou a cair um chuva não muito forte que durou uns dez minutos.

Peguei minha velha bicicleta e comecei a pedalar lentamente, meus pensamentos direcionados para a prova e como ela poderia ser, tentando ficar tranquilo.

Na metade do caminho, um pensamento estranho, esquisito, aflorou em minha mente, pedalei mais devagar e o pensamento começou a tomar forma: o que é...
tracking img