Memorial

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1807 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FINOM - FACULDADE DO NOROESTE DE MINAS
PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇ Ã O AMBIENTAL

MARIZETE BISPO DE SOUZA LEMOS

MEMORIAL

Ã

Feira de Santana
2010

MARIZETE BISPO DE SOUZA LEMOS

MEMORIAL

Memorial apresentado à Faculdade de Educação da FINOM, como requisito parcial para obtenção do título de Especialista em Educação Ambiental.Orientadora Profª Ana Paula Santana

Feira de Santana
2010

MEMORIAL

Tudo começou numa pequena cidade do interior, na época era muito difícil para mim que morava ora na fazenda, ora na cidade.

Estudei o ABC numa escola que na verdade era a casa da professora. Eu tinha que percorrer alguns km para chegar até a mesma. As vias de acesso eram veredas estreitas e,além disso, tinha que conviver com o medo de topar com animais como: cobras raposas e gado bravo.

No ano seguinte fui estudar a cartilha na pequena cidade, com uma professora extremamente rígida e que fazia sabatinas regadas a palmatória quase todos os dias. Essa escola também era a casa da professora.

No 1º ano voltei a estudar na fazenda e para chegar até lá, fazia o mesmoitinerário de quando estava estudando o ABC. No meio do ano, a professora achou que eu estava bastante adiantada e me passou para o 2º ano. Fiz o 1º e o 2º ano ao mesmo tempo cursando no mesmo ano. Para cursar o 3º ano precisei voltar novamente para a cidade já que na fazenda só cursava até o 1º ano.

Quando conclui a 4ª série, voltei para a fazenda e continuei a estudar na cidade. Otransporte era um caminhão tipo pau-de-arara, transportava homens que trabalhavam no Órgão do Estado chamado DNOCS (Departamento Nacional de Obras Contra a Seca) de uma cidade para a outra. Correndo riscos diariamente. Assim passei 4 anos até concluir a 8ª série.

Na seqüência fiquei um ano sem estudar, porque na minha cidade não tinha o ensino do 2º grau. No ano seguinte, chegou à cidade umpadre Italiano que fundou o Colégio do Ensino Médio. Eu fui da turma pioneira. O Colégio só funcionava à noite e a luz era uma lamparina a gás.

Concluída essa etapa, mudei para Feira de Santana, a fim de fazer meu curso Universitário, onde vivo até hoje. Devo ressaltar que o período em que cursei a faculdade foi de extrema dificuldade, pois precisei sempre morar de favor. Comi “o pão que odiabo amassou”.

Mais tudo isso foi muito gratificante, pois apesar de muita luta e de muitas dificuldades, consegui concluir meu curso superior. E aqui estou mais uma vez, em busca de aprimorar meus conhecimentos, para que possa desempenhar e melhorar minha função. Assim continuarei em busca de conhecimentos até me aposentar.

A EDUCAÇÃO EM SUAS DIRETRIZES

Sempreimaginamos que uma política educacional pública deve expressar os anseios da comunidade a que se destinam suas diretrizes e propostas, assim como imaginamos que uma política pública deve estar atenta e oferecer respostas às necessidades geridas e construídas na práxis histórica dos sujeitos que convivem em suas dimensões; no caso, das políticas educacionais, referimo-nos aos educadores/as que militamnas diversas esferas por onde a educação transita.

Imaginamos ainda, que uma política educacional pública, deve buscar coerência epistemológica entre suas propostas de inovações e as legislações decorrentes. Pressupõe-se que deva existir uma coerência entre intencionalidade da legislação e convicções teóricas que sustentam tal legislação. Pressupomos ainda que uma política educacional,num estado de direito democrático, deva buscar canais de diálogo com os que estarão implicados, direta ou indiretamente, com as conseqüentes normatizações de suas legislações.

Acreditamos, que as intencionalidades de uma política, fundamentalmente a educacional, devem ser explícitas e dialogantes; devem ser expressas claramente e devem se reger por princípios e valores que fundamentam e...
tracking img