Medicina aeroespacial

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1055 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade do Sul de Santa Catarina – Unisul
Campus Virtual


|[pic] |Atividade de Avaliação a Distância |


Disciplina: Fatores Humanos e Aspectos de Medicina Aeroespacial
Curso:
Professor:
Nome do aluno:
Data:


Orientações:
▪ Procure o professor sempre que tiverdúvidas.
▪ Entregue a atividade no prazo estipulado.
▪ Esta atividade é obrigatória e fará parte da sua média final.
▪ Encaminhe a atividade via Espaço UnisulVirtual de Aprendizagem (EVA).


1) Leia o item 2.3 do texto disponível em . Após a leitura responda qual é a sua percepção do problema em relação à segurança de voo e a saúde do profissional. (3,0 pontos)

A descrição deque fadiga provém de desgastes físicos e mentais prolongados, através de estresses contínuos, privação de sono e até de monotonia, que causam, dentre vários fatores, a sensação de cansaço e sonolência, é bastante incompleta visto que ela é mais ampla que ser simplesmente a impossibilidade de continuar funcionando ao nível normal da capacidade pessoal. Se não a podemos classificar como uma patologiado mundo moderno, no mínimo, ela causa outras deficiências mentais e fisiológicas, momentâneas (agudas) ou permanentes (crônica). Um dos grandes problemas é o fato de ser dificilmente detectada, mais para o próprio profissional do que para terceiros.
Quanto à segurança de voo é indiscutível que, pelo fato de que além da fadiga causar sensação de cansaço, esgotamento, fraqueza geral, doresmusculares e tonturas, ela torna o voo muito perigoso devido prejudicar a concentração, atenção, tomada de decisão, redução da coordenação motora, memória e comunicação, qualidades indispensáveis na aviação.
Já na saúde ocupacional ela afeta tanto a segurança de voo quanto a parte fisiológica, podendo causar danos permanentes e outras patologias relacionados aos outros sintomas como aumento dapressão arterial (que causa problemas cardíacos e vasculares), ansiedade, irritabilidade, alteração do apetite e até problemas gástricos, podendo deixar o profissional inapto para a atividade aérea.
Diante do exposto, é necessária a existência de programas de combate à fadiga, onde poderá haver instrução, educação e ajuda para uma boa higiene do sono, alimentação saudável e recomendação de atividadesfísicas e de relaxamento, já que é comprovado que indivíduos com bom condicionamento aeróbico têm desempenho superior cognitivamente em atenção e concentração, além de combater as consequências fisiológicas supracitadas.







2) Imagine a seguinte situação: um pouco antes de decolar, você é um instrutor de voo e percebe que seu aluno está com sinais de um resfriado (tosse seca, coriza). Aocomentar a situação com ele, o mesmo diz que não há problemas porque no caminho passou na farmácia, comprou e tomou um analgésico associado a um descongestionante.
Qual o problema dessa situação? (2,0 pontos)

Os analgésicos associados a descongestionantes mais comuns, possuem, em sua formulação, substâncias que podem inibir, retardar e prejudicar o sistema nervoso e cognitivo ao pontode causarem tonturas, sonolência, distração, desorientação, perda da coordenação motora, alterações de percepção, humor e do equilíbrio emocional, redução da vigília, dificuldade na tomada de decisões e diminuição de reflexos. Como citado no livro didático, essas associações geralmente são vendidas com o nome de marca e podem ter substâncias proibitivas. Em muitas delas há advertências na bulasobre o cuidado em dirigir e operar equipamentos, devido a estes efeitos adversos, indesejáveis e perigosos. Uma dessas associações mais vendidas é a Coristina D, cuja informação na bula diz que há cafeína em sua composição para compensar a sonolência que pode causar com o componente anti-histamínico. Considero esta informação, no mínimo, imprudente, pois pode levar a uma falsa compreensão de que...
tracking img