Martins pena

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (308 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Martins Pena

Luís Carlos Martins Pena era filho de João Martins Pena e Francisca de Paula Julieta Pena. Perdeu o pai com um ano de idade e a mãe, aos dez. Educado por tutores, foi preparadopara a vida comercial. Completou o curso do comércio em 1835. Cedendo à vocação, passou a frequentar a Academia de Belas Artes, onde estudou arquitetura, estatuária, desenho e música;simultaneamente estudava línguas, história, literatura e teatro.
Martins Pena é considerado o consolidador do teatro no Brasil com suas comédias de costumes que até hoje são representadas. Além de fundadorda comédia de costumes no Brasil, escreveu outros gêneros como farsas e dramas e contribuiu no Jornal do Comercio como crítico teatral.

Soube aproveitar o momento em que se intensificava acriação do teatro romântico brasileiro, que possibilitava tratar das situações e personagens do cotidiano, e mostrou a realidade de um país atrasado e, predominantemente, rural, fazendo a plateiarir de si mesma. Seus textos envolvem, sobretudo, flagrantes da vida brasileira, do campo à cidade.

Assim, apresenta com temas principais, os problemas familiares, casamentos, heranças,dotes, dívidas, corrupção, injustiças, festas populares etc. Sua galeria de tipos compreende: funcionários públicos, padres, meirinhos, juízes, malandros, matutos, moças namoradeiras ou sonsas,guardas nacionais, mexeriqueiros, viúvas etc.
A primeira representação de uma peça do autor foi em outubro de 1838, a peça era “O juiz de paz na roça”, no Teatro São Pedro.
Obras:
Um Sertanejo naCorte (1833-37)
O Juiz de Paz da Roça (1842) O Judas em Sábado de Aleluia (1846)
O Cigano (1845)
As Casadas Solteiras (1845)
O Noviço (1845)
O Namorador ou A Noite de São João (1845)
OCaixeiro da Taverna (1845)
Os Meirinhos (1845)
Os Ciúmes de um Pedestre ou O Terrível Capitão do Mato (1846)
Os Irmãos das Almas (1846)
O Diletante (1846)
Quem Casa, Quer Casa...
tracking img