Marcela

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1197 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
PLANTAS MEDICINAIS NAS PRÁTICAS DE SAÚDE – NFR5167

PROFESSOR ANTONIO DE MIRANDA WOSNY











Marcela
Achyrocline satureioides


Por

Ana Caroline Hillesheim
Naiana Ediane Antunes





Florianópolis
2012
INTRODUÇÃO


Há muito tempo as plantas são utilizadas nas práticas demedicina popular. Os diversos grupos étnicos têm acumulado conhecimentos empíricos sobre a ação dos vegetais. O homem primitivo, na busca para a cura de seus males, foi selecionando algumas plantas e rejeitando outras e, desta maneira foi adquirindo experiência, a qual era transmitida aos demais e assim um conhecimento popular foi transmitido de geração em geração.
Neste estudo será possívelconhecer mais sobre a marcela, cujo nome cientifico é Achyrocline satureioides é uma erva da flora também conhecida por macela-do-campo, macelinha, macela de travesseiro, carrapichinho-de-agulha, camomila nacional etc.
Sua influência, tanto em pesquisas científicas quanto na medicina tradicional, é tão forte no Rio Grande do Sul que, de acordo com o Projeto de Lei nº 224/2001, foiconsiderada “Planta Medicinal Símbolo” do estado Gaúcho




















MARCELA - Achyrocline satureioides

Macela, cientificamente conhecida como Achyrocline satureioides (Lam.) DC., pertence à família Asteraceae e tem como sinonímia cientifica Gnaphaluim satureioides. É conhecida popularmente como marcela, macela-do-campo, macela, macela hembra, botonera, carrapicho deagulha, chá de lagoa, alecrim da parede, losna do mato, marcelinha, macela da terra e mirabira. (Figura 1)
As características botânicas essenciais que permitem sua identificação e diferenciação de espécies adulterantes são de fácil visualização. O caule é cilíndrico, não alado e possui pêlos alvos-tomentosos. As folhas são sésseis ou curtíssimo pecioladas, apresentam limbo linear alinear-lanceolado com pêlos alvos-tomentosos. Os capítulos florais são reunidos em densos glomérulos paniculados com diâmetro aproximado de 1mm. Possui nove brácteas amarelas, inseridas em três ou quatro séries, com Consistência escariosa e forma lanceolada e ápice agudo. Apresentam flores femininas e hermafroditas, a primeira é filiforme radial e a segunda é central tubulosa. Outra característica é o papusbranco, unisseriado medindo cerca de 4 mm de comprimento e o aquênio é escuro, glabro e elipsoidal.
De acordo com a Farmacopéia Brasileira (1988), as características organolépticas são cor amarelo ouro, odor aromático e agradável, sabor levemente amargo. A cor das inflorescências secas pode varias, não correspondendo a estágios de maturação.


[pic]
Figura 1: Achyrocline satureioides(Lam.) DC..


FARMACÓGENO


As inflorescências são utilizadas como farmacógeno. A droga vegetal consiste então das sumidades floridas secas, sendo permitida a presença de pedúnculos e pedicelos de até 3 cm, desde que não correspondam a um valor maior que 1% do peso seco do conjunto.


ORIGEM GEOGRÁFICA

A marcela é um arbusto originário da América e amplamente distribuído naEuropa e África. No Brasil a marcela pode ser encontrada desde Minas Gerais até o Rio Grande do Sul.

CULTIVO

A marcela adapta-se melhor a climas amenos e não é exigente em relação à fertilidade do solo, porém prefere solos profundos e bem drenados. Recomenda-se uma adubação orgânica com 3,0kg/m2 de esterco de curral curtido ou composto orgânico ou 1,5kg/m2 de esterco de aves. Parateores muito baixos de nitrogênio, fósforo e potássio, pode ser necessário uma adubação química complementar.


USOS POPULARES

Alguns dos principais usos e propriedades popularmente atribuídos a A. satureioides são atividade sedativa, analgésica, antitumoral, digestória, cicatrizante para ferimentos e úlceras do aparelho digestivo, colagogo, anti-diarrêico, antiviral, anti-inflamatórios,...
tracking img