Livro o castelo franz kafka

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 1738 (434427 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
O Ca s t e l o
Franz Kafka
Título original: Das Schloss
Tradução e posfácio: Modesto Carone
COMPANHIA DAS LETRAS
2ª Edição, 2000
Índice na última página

CONTRACAPA
O a g r i m e n s o r K. c h e g a a u m a a l d e i a c o b e r t a d e n e v e e p r o c u r a a b r i g o
num albergue perto da ponte. O ambiente sombrio e a recepção ambígua dão o
t o m d o q u e s e r á o r o m a n ce . No d ia s e g u in t e o h e r ó i vê , n o p i c o d a c o li n a
g e la d a , o c a s t e l o : c o m o u m a vi s o s i n i s t r o , b a n d o s d e g r a lh a s c ir c u l a m e m
t o r n o d a t o r r e . O p e r s o n a g e m , K. , n u n c a c o n s e g u i r á c h e g a r a t é o a l t o , n e m o s
d o n o s d o p o d e r p e r m it ir ã o q u e o fa ç a . E m ve z d is s o , o su p o s t o a g r im e n s o r —
m e s m o a e s s e r e s p e it o n ã o h á c e r t e z a — b u s c a r e i vi n d i c a r s e u s d ir e i t o s a u m
ve r d a d e ir o c o r t e jo d e b u r o c r a t a s m a li c io s o s , q u e o a t i r a m d e u m l a d o p a r a
o u t r o c o m a r g u m e n t o s q u e d e s e n h a m o la b i r i n t o i n t r a n s p o n íve l e m q u e s eentrincheira a dominação.
O castelo — Fausto d o s é c u lo XX c o n s o lid a d o c o m o u m d o s p o n t o s m a is
altos da ficção universal — mostra a extensão completa do termo k a f k ia n o .

ABAS
J á se disse que os homens suportam qualquer sofrimento, desde que saib a m q u e t e r á fim ; o e fe it o d a t o r t u r a p a r e c e t a n t o m a io r , m a is e fic a z , q u a n to
m ais s e c o n ve n c e o t o r t u r a d o d e q u e a q u e le m o m e n t o d e d o r n ã o é a p e n a s o
presente, mas todo o futuro.
A lit e r a t u r a d e F r a n z Ka fk a p o d e s e r lid a t a m b é m a s s im : c o m o
r e p r e s e n t a ç ã o d e s s e e s t a d o m e n t a l e m q u e u m s o fr im e n t o d e s a g r e g a a n o ç ã o
d e t e m p o e p õ e e m s e u l u g a r um a d u r a ç ã o — a d e u m p r e s e n t e c o n t ín u o
g e r a d o p e la c e r t e z a d e q u e a r e p e t i ç ã o i n d e s e j a d a i n s t a l o u - s e c o m o l e i
impo s s íve l d e b u r la r . Na a c e p ç ã o m a is c o r r e n t e , k a f k ia n o , p a r a n ó s , t o r n o u - se
o e n r e d o (lit e r á r io o u n ã o ) q u e n ã o a c a b a d e o p r im ir ; u m a s itu a ç ã o k a fk ia n a é
o q u e é , p a r a s e m p r e , e n e n h u m a p e r g u n t a s o b r e s u a n a t u r e z a p a r e c e a t in g i la no centro.

Kafka morreu e m 1 9 2 4 , u m m ê s a n t e s d e c o m p le t a r 4 1 a n o s . E s c r e ve u O
castelo e m 1 9 2 2 , e m c e r c a d e s e is m e s e s . Nã o s e s a b e p o r q u ê , s u s p e n d e u a
esc r it a n o m e io de u m a fr a s e : "E la e s t e n d e u a K. a m ã o t r ê m u la e o m a n d o u
sentar- s e a o s e u la d o ; fa la va c o m e s fo r ç o , e r a p r e c is o s e e s fo r ç a r p a r a
entendê- la, mas o que ela disse".
Nã o h á c o m o n ã o ve r e s s a i n c o m p l e t u d e g r a m a t i c a l c o m o i m a g e m d a
p r ó p r ia lit e r a t u r a k a fk ia n a . Le n d o Ka fk a àlu z d e Ka fk a , p a r e c e d e s n e c e s s á r io
ou impertinente devanear sobre a seqüência, pois ela está inscrita em todas as
p á g i n a s a n t e r i o r e s : K. , o s u p o s t o a g r i m e n s o r , n ã o a l c a n ç a o c a s t e l o . N ã o s e
desenreda — e é esse o seu presente contínuo.
No p o s fá c io , M o d e s t o C a r o n e c it a u m a a n o t a ç ã o d e Ka fk a :"Alg u n s livr o s
fu n c io n a m c o m o u m a c h a ve p a r a a s s a la s d e s c o n h e c id a s d o n o s s o p r ó p r io
cast e lo ". A lit e r a t u r a k a fk ia n a é m a is d u r a . P o vo a d a d e s e r e s e m p a r e d a d o s ,
parece afirmar que as salas desconhecidas assim permanecerão.

CAPÍTULO 1

CHEGADA
E ra tarde da noite quando K. chegou. A aldeia jazia na...
tracking img