Karl marx e sociedade latino americana

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3186 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA
DO MATO GROSSO- Campus Confresa
Técnico em Agropecuária


TRABALHO DE SOCIOLOGIA
ATUALIDADES E KARL MARX

Confresa - MT
01 de fevereiro de 2013
Dos SANTOS, Thiago Baltazar

TRABALHO DE SOCIOLOGIA
ATUALIDADES E KARL MARX
Trabalho de Sociologia apresentado como requisito parcial para obtenção de nota do terceiro bimestre do InstitutoFederal de Educação, Ciência e Tecnologia – Campus Confresa.
Orientador: Inaê Vasconcellos









Confresa - MT
01 de fevereiro de 2013
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO___________________________________________________________04OBJETIVO_______________________________________________________________05
DESENVOLVIMENTO____________________________________________________06
REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS_________________________________________11

INTRODUÇÃO
Marx era um pensador econômico que criticava o sistema capitalista a partir do materialismo histórico, pela luta de classes e pela exploração do trabalho humano. Ele tentavaconscientizar a classe dos proletários para lutarem por seus direitos e com isso combaterem as injustiças do sistema.
Dentre as teorias e conceitos mais famosos de Marx está o conceito e/ou a teoria da Mais-Valia. Este conceito determinava a disparidade entre o ganho do trabalhador (salário) em relação ao lucro do patrão (capitalista), estes por sua vez pagavam o salário de mercado pelo uso daforça de trabalho para aumentar os lucros.
Marx acreditava que a exploração do sistema gerava uma alienação do trabalho e dos trabalhadores. Por isso ele defendia que os proletariados deveriam se organizar através uma organização política (sindicatos e partidos políticos) para combater esses abusos do sistema capitalista, e assim com a tomada do poder, através de uma revolução do povo (proletariado) epara o povo, onde a classe trabalhadora assumiria o poder do Estado e teoricamente acabariam com essas injustiças.
O processo de globalização capitalista foi originariamente detectado por Karl Marx e apontado no Manifesto Comunista da seguinte maneira: “impelida pela necessidade de mercados sempre novos, a burguesia invade todo o globo. Necessita estabelecer-se em toda parte, explorar em todaparte, criar vínculos em toda parte. Pela exploração do mercado mundial, a burguesia imprime um caráter cosmopolita à produção e ao consumo em todos os países.
O marxismo chegou na América Latina antes do que na Ásia e na África. Por volta de 1890 alguns autores já introduziram as ideias de Marx, numa tentativa de interpretar seus países. Ou seja, o marxismo na América Latina tem uma história depelo menos 120 anos.
Foi fundado em 1890 nos Estados Unidos, o primeiro partido autodeclarado marxista da América: o Partido Socialista Operário dos EUA (Socialist Labor Party of America), onde um dos seus criadores foi Daniel De Leon, um grande teórico do período anterior à Revolução Russa. Ele foi o único marxista das Américas que influenciou alguns militantes e intelectuais na Europa. Osconceitos de partido de De Leon vêm antes dos de Lênin.
Em 1925 teve a Revolução Russa e a criação da Comintern [Internacional Comunista]. A partir daí surgiram obras fundamentais de interpretação da identidade nacional dos países latino-americano, seja seguindo acriticamente as linhas de pensamento da Comintern, seja adaptando-as para as realidades locais.


OBJETIVO

Este trabalho tem comoobjetivo identificar como se encontra o cenário da América Latina no sentido de politicas sociais e até mesmo América latina. Além disso, ressaltar sobre a tendência latina americana de politicas públicas no sentido de educação, e introduzir assim as teorias e a participação de Karl Marx neste meio.

DESENVOLVIMENTO

 Para Michael Löwy o marxismo é formidável, mas precisa ser atualizado e...
tracking img