Inteligencia emocial

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1306 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Daiane Brasil
















INTELIGÊNCIA EMOCIONAL: DIFERENCIAL DO TRABALHO






























Dourados, MS

2009





SUMÁRIO



1 INTRODUÇAO 4 e 5

2 JUSTICATIVA 6 e 7

3 OBJETIVOS 8

4 METODOLOGIA 9

REFERÊNCIAS 10ANEXOS.................................................................................................................................11



































Introdução



Com globalização e a maior proximidade das empresas, a tecnologia de informação domina as discussões e o conhecimento, para quem o detém, é tido como determinante para o sucesso pessoal e principalmente profissional. Porém a abordagem da Inteligência Emocional tambémganha espaço nesse cenário, uma vez que as empresas estão empenhadas em desenvolver sua vantagem competitiva investindo no seu maior capital, que é o capital humano.

A Inteligência Emocional desperta bastante interesse por ser um tema polêmico e atual. Este termo foi pela primeira vez usado na tese de doutorado de Payne (1985, citado por Hein, 2003) com uma abordagem mais filosófica do queempírica, o que explica uma maior repercussão somente na década de noventa, quando dados empíricos sobre Inteligência Emocional foram divulgados por Mayer, DiPaolo e Salovey (1990) em um periódico científico de Psicologia, e mais tarde por Daniel Goleman, quando lançada sua obra intitulada “Inteligência Emocional” (1990). Muitas críticas, de início, se estabeleceram, pois se teve a idéia de que a IEseria um reescrito da inteligência social e das inteligências múltiplas de Gardner (Mayer, DiPaolo e Salovey, 1990)[1] e que a emoção não seria uma habilidade relevante. Entretanto, Goleman (1995) afirma:“O QI e a inteligência emocional não são capacidades que se sobrepõem, mas distintas. (...) Na verdade, há uma ligeira correlação entre QI e alguns aspectos da inteligência emocional, emborabastante pequena para que fique claro que se trata de duas entidades bastante independentes”. (GOLEMAN, 1995)

Em resposta as críticas, também, Marley e Solavey (1997) propõem que a inteligência e a emoção são complementares e não opostas. São habilidades integradas que trabalham juntas para a solução de problemas.[2]

No ambiente de trabalho não é diferente. Essas habilidades devem sertrabalhadas de forma conjunta para se estabelecer um ambiente saudável e de produtividade. Entender como são trabalhadas, pode ser uma forma satisfatória para

a empresa alcançar sucesso, pois terá funcionários adequando suas atitudes e seus desejos a sua melhor forma de expressão técnica.

Dessa maneira, é estabelecida a importância das inteligências intra e interpessoais. Gardner (1993) constataque

“Ambas apresentam tentativas de resolver problemas para o indivíduo e a espécie. A inteligência interpessoal nos permite compreender os outros e trabalhar com eles; a inteligência intrapessoal nos permite compreender a nós mesmos e trabalhar conosco”. (GARDNER, 1993)

A autoconsciência é fator primordial na compreensão dessa importância, pois segundo Goleman (1995) “as pessoas maisseguras acerca de seus próprios sentimentos são melhores pilotos de suas vidas, tendo uma consciência maior de como se sentem em relação a decisões pessoais, desde com quem se casa a que emprego aceitar.”
































JUSTICATIVA



Há menos de duas décadas, para se provar capacidade, a inteligência tinha como principal medidor respeitávelo Quociente de Inteligência, o QI. Porém, como afirma Goleman (1995), “Na melhor das hipóteses, o QI contribui com cerca de 20 por cento para os fatores que determinam o sucesso na vida, o que deixa os outros 80 por cento restantes por conta das outras variáveis.”

Como todos nós sabemos, o mundo passa por grandes transformações e adaptações, e com o estudo do entendimento mais aprimorado...
tracking img